Gramado da Arena entra no foco e gerente garante controle contra praga

Foto: Darwin Júnior – Olhar Copa

O alerta do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), na vistoria da última segunda-feira, sobre a situação do gramado da Arena Pantanal fez com que a Secopa (Secretaria Extraordinária da Copa) e a construtora Mendes Júnior voltassem as atenções para o tapete do novo estádio. De acordo com a assessoria da Secopa, o gramado está recebendo total atenção da empresa responsável pelo plantio e há, inclusive, monitoramento para prevenção de uma eventual praga na grama.

A Secopa informou que após 46 dias do plantio das mudas, o gramado da Arena Pantanal está em sua reta final de desenvolvimento. Com o crescimento das raízes, que ocorreu nos primeiros 20 dias de irrigação, o “tapete” em formação passou para o período de grow in, no qual deve permanecer até a inauguração, e que compreende quatro etapas: irrigação, adubação, corte e controle fitossanitário.

De acordo com o gerente de contrato da World Sports, empresa responsável pelo plantio do gramado, André Ostermayer, tais fases ocorrem de maneira alternada e todas tem igual importância no processo de crescimento, que ocorre em um espaço de 78 X 112 metros.

O gerente explica que “com o corte, feito por uma máquina, a grama que cresce verticalmente é cortada, forçando assim brotações laterais, criando as ramificações que fecharão por completo o gramado. A irrigação, importante no primeiro momento para o crescimento das raízes, é realizada diariamente e agora tem a função de favorecer o crescimento tanto folhear como radicular”.

Segundo Ostermayer, a adubação química é realizada semanalmente, ou a cada quinze dias, conforme a necessidade, identificada com o acompanhamento da planta. O controle fitossanitário, por sua vez, serve para controlar as pragas (ervas daninha como tiriricas, por exemplo) e doenças, que naturalmente surgem, durante e após o grow in.

“Com o desenvolvimento do gramado cria-se um microclima dentro do estádio que favorece o crescimento de pragas e doenças. Nestes casos, normalmente registrados em diversos estádios, o procedimento usual é monitorar e controlar diariamente. O controle fitosanitário é feito desde o plantio, por isso mantemos tudo sob controle”.

Com a finalização do grow in, previsto para fevereiro, o campo entrará em um nível mais intenso e exigente, como ocorre em um campo de Copa do Mundo, em que são feitos determinados cortes e desenhos. Atualmente um agrônomo e três trabalhadores da World Sport, treinados para tratar especificamente de gramados, atuam todos os dias para execução das quatro etapas citadas.

Vale lembrar que na Copa do Mundo, a Arena Pantanal receberá quatro jogos da primeira fase: Chile X Austrália, Rússia X Coreia do Sul, Nigéria X Bósnia-Herzegovina e Japão X Colômbia.  Com informações da Secopa/Via Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*