Greve do Detran termina sem que as duas principais reivindicações fossem atendidas

A paralisação de quase trinta dias do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT) resultou no atendimento de três dos cinco itens da pauta de solicitação feitas pelos servidores. Porém, o governo foi incisivo em não ceder às duas principais reivindicações: o fim da terceirização da vistoria ambiental e o repasse de tudo o que é arrecadado pelo Detran/MT para a Conta Única do Governo.

Essa postura do governo foi criticada pela presidente do Sindicato dos Servidores do Detran/MT, Veneranda Costa, que não obteve resposta de contundentes do Estado em discutir o terceirização da fiscalização ambiental. De acordo com ela, da maneira em que foi colocada, a terceirização da vistoria fica mais cara para os cofres públicos, sendo que o órgão poderia comprar os equipamentos para que o serviço seja executado pelos próprios servidores. “Não existe nenhum argumento plausível para essa recusa do Estado”, assevera.

As atividades do Departamento estão sendo retomadas nessa segunda-feira (18) após uma greve marcada por manifestações adversas da categoria, como a dos donos de autoescolas, e prisão de um dos servidores grevistas. A decisão de retornar o trabalho ocorreu na quarta-feira (14) depois de uma reunião realizadas entre o Sindicato dos servidores do órgão, Secretaria de Administração Pública, presidência do Detran/MT e procurador Geral do Estado.

Dentre os pedidos atendidos pelo governo está a melhoria das condições físicas do Detran. Durante todo período grevista, o sucateamento das unidades foi parte das queixas dos servidores. Um discurso que chegou a ser rebatido pelo presidente do Departamento, Gian Castrillon. Para ele, não existiam problemas de infraestrutura nas unidades e a queixa da categoria não passava de “um folclore”.

Contrapondo o posicionamento do presidente, Veneranda declarou que, ele [Castrillon] sequer conhece a estrutura do Detran e que até mesmo desconhece as condições das unidades do interior. “Na verdade folclore está na alegação dele”, frisa. Via Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*