Guarda de bebê indígena enterrada viva em MT deve ser avaliada e pai pode ficar com a filha

A guarda da bebê indígena enterrada viva pela família em Canarana, a 838 km de Cuiabá, deve ser avaliada para verificar a possibilidade do pai da criança ficar com a filha.

A bebê, que hoje tem 10 meses,está sob a guarda da Fundação Nacional do Índio (Funai) e acolhida na Casa da Criança e do Adolescente Hygino Penasso, em Canarana.

O pedido de adequação da concessão foi feito pelo Ministério Público Estadual (MPE) à Justiça de Mato Grosso. No pedido, o MPE lembra que a bebê faz exames médicos rotineiros por meio da Casa de Saúde do Índio (Casai). Os pais da criança são indígenas de etnias diferentes.

Por conta disso, o MPE intimou a Casai sobre a viabilidade de continuar o tratamento médico depois que a guarda for concedida ao pai, que mora em outra cidade.

Caso a Casai responda de forma positiva, o MPE pediu que a guarda fosse concedida ao pai da criança.

g1mt

Responder

comment-avatar

*

*