Ibama embarga 7 mil hectares por desmatamento em Mato Grosso

Uma área totalizando sete mil hectares foi embargada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) em Mato Grosso nos quatro primeiros meses de 2012 na operação Verdes Veredas, de combate ao desmatamento. Ações realizadas pela regional Sinop do órgão, e que está distante a 503 quilômetros de Cuiabá, geraram 125 autos de infração e um volume de multas na ordem de R$ 78 milhões.

Oitenta e cinco agentes do órgão ambiental foram destacados para atuar na localidade onde estão cidades apontadas como líderes em desflorestamento no país, segundo os órgãos do Governo Federal. Ao todo, 13 caminhões utilizados na retirada da madeira da floresta e transporteforam apreendidos, além de 41 tratores empregados na exploração clandestina e quatro veículos de passeio.

A operação Verdes Veredas, deflagrada no primeiro bimestre do ano objetiva coibir o desmatamento ilegal na Amazônia. Além disso, fiscalizar o cumprimento das sanções aplicadas pelo Ibama às áreas desmatadas. Ou seja, verificar se os embargos estão sendo respeitados.

O chefe da Divisão de Fiscalização do Ibama em Sinop, Werikson Trigueiro destaca que a maior parte das irregularidades flagradas refere-se ao desmatamento na modalidade conhecida como ‘corte raso’.

“O desmatamento é uma progressão de ato. Começam a retirar a madeira de corte seletivo, depois as menores para fazerem lascas. Posteriormente, coloca-se fogo para facilitar o desmate a corte raso, que significa retirar o restante da vegetação”, explicou o agente.

Boa parte das infrações foi registrada em áreas de assentamentos rurais de municípios como Itanhangá e Tapurah, situados a 447 quilômetros e 414 quilômetros da capital. “Esse ano flagramos muitas áreas em assentamentos. Em Feliz Natal, a 538 km de Cuiabá, também ocorreu um dos principais”, acrescentou Trigueiro.

Amazônia
Na Amazônia Legal brasileira, somente no primeiro trimestre deste ano foram desmatados 388,13 km² de áreas. O número foi identificado por meio do DETER, o sistema baseado em imagens de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

O estado de Mato Grosso foi responsável pelo desflorestamento de 329,93 km², de acordo com o Inpe. A maior agressão à floresta foi registrada no mês de fevereiro, quando 285,46 km² foram destruídos. Em janeiro, o desmatamento na Amazônia Legal mato-grossense atingiu 8,04 km² e, em março, 36,43 km².

No intervalo de três meses (janeiro a 16 de março), as autuações realizadas por desmatamento na unidade federada provocaram multas de R$ 31,5 milhões, o maior dentre os demais integrantes da Amazônia. Só para este período, mais de 4,3 mil hectares foram embargados.

Segundo colocado no ranking de multas, no estado do Pará foram lavrados R$ 15,6 milhões em Multas; em Rondônia R$ 1,8 milhões; Amazonas R$ 260 mil; Roraima R$ 201,5 mil; Acre R$ 33 mil e Maranhão R$ 24 mil. Ao todo, R$ 49,5 milhões em multas foram gerados, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente.

(Foto: Nelson Feitosa/Ibama)

Responder

comment-avatar

*

*