Incêndio atinge vegetação de parque ecológico em Barra do Garças (MT)

Fogo começou no domingo (24) no Parque Estadual Serra Azul.
Equipe de bombeiros e brigadistas tentam apagar o incêndio.

Fogo atinge Parque Serra Azul, na cidade de Barra do Garças, em Mato Grosso. (Foto: Edevilson Arneiro/Prefeitura de Barra do Garças-MT)

Um incêndio de grandes proporções já destruiu parte do Parque Estadual Serra Azul, na região da cidade de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo começou no domingo (24), se alastrou pela vegetação do parque ecológico e continua nesta quarta-feira (27)

A área, que possui cerca de 10 mil hectares, fica a quatro quilômetros do centro de Barra do Garças. O Parque Serra Azul é composto por circuito de cachoeiras, trilhas, grutas e sítios arqueológicos. É considerado um dos principais roteiros turísticos da região.

Uma equipe de 40 homens, composta por bombeiros, brigadistas da Secretaria Estadual de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema) e representantes da brigada de incêndio. Um avião com compartimento de três mil litros de água também é usado no combate ao fogo.

“Perdemos o controle da situação. É muita vegetação, um local de difícil acesso e muita ventania, que alastra o fogo”, disse o coordenador da brigada de incêndio, Francisco Cândido.

O combate é feito tanto por terra quanto por ar. Enquanto a aeronave despeja água, os brigadistas e bombeiros tentam abafar as chamas na vegetação. A suspeita dos bombeiros é que o incêndio tenha começado em sítios na região de Araguaiana, cidade mato-grossense que faz divisa com Goiás.

Bombeiros usam avião para tentar apagar incêndio em parque ecológico. (Foto: Edevilson Arneiro/Prefeitura de Barra do Garças-MT)

“É um incêndio de grandes proporções e estimamos que ainda vá durar mais dois ou mais dias até poder se extinguir. Temos a dificuldade por ter muita matéria orgânica, dificuldade na logística. O fogo é extenso e ainda não calculamos quanto do parque já foi queimado”, disse ao G1 o tenente-coronel dos bombeiros, Willckerson Cavalcante.

A situação se torna mais complicada pelo fato do parque não registrar incêndios desse tipo há seis anos, segundo o tenente-coronel. “O avião tem capacidade para três mil litros de água. Ele faz o pouso no aeroporto, fazemos o abastecimento em três minutos e ele decola novamente, despejando a água, que pode ser feita de uma só vez ou de forma parcelada. Em média, o avião gasta 20 minutos, entre o pouso, abastecimento, decolagem e alijamento de carga”, explicou Willckerson.

Responder

comment-avatar

*

*