Incra emite nota e diz que vai assentar 105 famílias da Suiá Missú em Alto Boa Vista

Em nota emitida hoje (25/04), a superintendência regional do Instituto Nacional de Reforma Agrária no Mato Grosso, disse que vai assentar 105 famílias no projeto de assentamento Vida Nova em Alto Boa Vista, a nota foi enviada após a notícia de que mais de 300 manifestantes se mantém as margens da BR 158, na região conhecida como posto da Mata.
Os antigos moradores da reserva Marãiwatsédé (antiga gleba Suiá Missú) cobram celeridade nas promessas do governo federal em reassentar as famílias retiradas da área, sem um plano de desintrusão, muitos aguardam em barracos de lonas, os manifestantes pretendem entrar novamente na área se não tiver nenhuma resposta do governo, “vamos retornar ao que é nosso, compramos e pagamos isso tudo aqui é nosso, e que fizeram conosco é uma vergonha”, disse um manifestante que não quis se identificar com medo de represálias.
Os produtores rurais estão acampados as margens da BR 158 desde segunda-feira (22/04) e dizem que só vão sair com um posicionamento concreto do governo. O Ministério Público Federal em Mato Grosso em ato contínuo pediu reforço policial das policias rodoviárias federais de Água Boa e Barra do Garças que estão na região na tentativa de conter os ânimos.
Na nota o Incra informa ainda que a reforma agrária é um processo demorado, mas que 105 famílias vão ser beneficiadas com o projeto de assentamento Vida Nova da modalidade casulo em Alto Boa Vista, e que a demarcação dos lotes está na fase de finalização. Informa também que os beneficiados terão direito a crédito inicial de apoio e instalação no valor de R$ 3.200,00 por família.
Também foram disponibilizados lotes no projeto de assentamento Santa Rita no município de Ribeirão Cascalheira, que segundo a nota os manifestantes não aceitarem, apesar de já estarem demarcados 50 lotes.
A nota informa ainda que o Incra mantém uma equipe de técnicos na região para dar continuidade aos trabalhos de assentar as famílias que atendem aos critérios da política nacional de reforma agrária, e 270 famílias da antiga Gleba Suiá Missú, estão cadastradas no banco de dados do órgão.
Desencontro 
 Os órgãos oficiais de imprensa do governo em matérias desencontradas afirmam que existem sobre a área mais de 1,8 mil indígenas, o que na realidade é menos de 300, e já sobre os manifestantes foi noticiado que apenas 40 pessoas estariam na manifestação, o que na realidade são mais de 300 pessoas que se revezam para se manterem firmes no protesto, que mesmo com lama, chuva e sol forte não desistem.

Responder

comment-avatar

*

*