Índios mantêm pedágio mesmo após acordo com prefeitura em MT

Prefeitura se comprometeu a fornecer pedras de calcário para indígenas.
Manifestantes alegam que só vão liberar via após início da obra.

Índios bloqueiam trecho da BR-174 há quatro dias. (Foto: Reprodução/ TVCA)

Um dia seguinte ao acordo firmado com a Prefeitura de Comodoro, a 677 km de Cuiabá, os indígenas da etnia Nhambiquara mantiveram o bloqueio em trecho da BR-174, entre Comodoro e Vilhena (RO), nesta terça-feira (16). O acordo prevê o cascalhamento de uma estrada vicinal de acesso às comunidades indígenas da região. As lideranças indígenas disseram que só vão liberar a via após o início da obra.

Eles cobram pedágio há quatro dias para melhorias nas estradas de acesso às aldeias, além de instalação de energia elétrica e licença para a plantação de alimentos.

De acordo com a assessoria da prefeitura de Comodoro, um termo de compromisso foi firmado pela prefeita Marlise Marques Moraes e o representante da Associação Manduka Haiyô, Mané Manduka. Ficou acordado que a prefeitura vai disponibilizar 120 toneladas de calcário para o cascalhamento, além de fornecer 3 mil kg de sementes de arroz.

As sementes devem ser entregues no início de novembro, no período de chuva. O representante Mané Manduka disse que o grupo conseguiu a autorização para plantar em uma área de 100 hectares.

Os índios devem contar com a ajuda da etnia Pareci para o cascalhamento. Segundo o líder Nhambiquara, a etnia já possui as máquinas necessárias para fazer o cascalhamento das estradas. “Combinamos e eles ficaram de nos ajudar. Até sexta-feira eles [Parecis] devem estar aqui para arrumar as estradas”, explicou.

Para a cobrança de pedágio, os índios usam obstáculos para que os motoristas diminuam a velocidade. Eles também usam arco e flecha para intimidar os motoristas a pagarem o valor. Para veículos de passeio, é cobrado R$ 25 e caminhões e ônibus, R$ 50. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*