Jovem é preso em MT com 300 quilos de maconha

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL

2ª SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL – MATO GROSSO

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Um jovem foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) transportando 300 quilos de maconha escondidos dentro do carro em que viajava. O flagrante aconteceu durante uma abordagem de rotina, na BR-364, em Jangada – MT.

Por volta das 11h de quinta-feira (19), agentes da 4ª Delegacia (Diamantino) da PRF efetuavam ronda pela rodovia, quando abordaram uma Strada com placas de Nova Mutum – MT, conduzida por um homem de 26 anos de idade. Ao abrirem a porta do carro, os policiais rodoviários federais sentiram um forte cheiro de maconha. A droga estava escondida atrás dos bancos do veículo, sob cobertores velhos.

O suspeito disse aos agentes da PRF que não sabia da existência do entorpecente no carro. Segundo ele, seu patrão havia lhe pedido para ir em Nova Mutum consertar a cerca de uma fazenda, alegação considerada fantasiosa pelos policiais. “Não acreditamos nessa versão, pois seria impossível que ele estivesse levando tanta droga ao seu lado e não sentisse o cheiro. Além disso, o celular dele não parava de tocar com chamadas de um tal ‘patrão’. Quando falamos para atender o telefone, um outro homem perguntava se estava acontecendo alguma coisa, mas logo desconfiou e desligou”, afirmou o inspetor R.Aparecido, do Grupo de Patrulhamento Tático da Delegacia de Diamantino. Em uma bolsa que o rapaz levava no carro, ainda foram encontrados 100 comprimidos de um estimulante sexual que tem a venda proibida no país.

Maconha no ônibus

Um pouco mais cedo, na BR-364, agentes do Grupo Tático da 1ª Delegacia (Cuiabá) fiscalizavam um ônibus que fazia o itinerário Campo Grande (MS) – Cuiabá (MT), quando encontraram 12 quilos de maconha na bagagem de um homem de 28 anos. Ele disse que receberia R$ 1,2 mil para trazer a droga até Cuiabá.

Em ambos os casos, os suspeitos foram encaminhados à Polícia Federal e deverão responder pelo crime de tráfico de entorpecentes, cuja pena varia de 5 a 15 anos de reclusão.

Responder

comment-avatar

*

*