Jovem morre com tiro na cabeça em Peixoto de Azevedo; cidade tem oito policiais para cuidar de 30 mil habitantes

O sexto homicídio do ano na cidade de Peixoto de Azevedo (distante 740km de Cuiabá) foi registrado na noite de terça-feira (29). O assassino está sendo procurado e foi identificado apenas como ‘Negão’, que atirou duas vezes e acertou uma na cabeça de Francisco da Conceição, 26, em uma das ruas que é conhecida como “linha vermelha” da cidade do nortão.

De acordo com o boletim de ocorrência, Francisco era usuário de drogas e o motivo seria um acerto de contas. ‘Negão’, que é o principal suspeito, teria deixado a cadeia há pouco tempo e já teria se desentendido com a vítima.

O tiro que acertou Francisco foi fatal. A bala atingiu a cabeça e a vítima teve morte instantânea. Rondas foram feitas na região, mas ninguém foi preso pelo crime de execução. A Polícia Civil do município, que também atende as cidades de Matupá e Guarantã do Norte, deve investigar o caso em passos lentos, porque apenas um investigar fica de plantão por dia e nem todos os crimes que acontecem na cidade tem andamento.

Na rua do homicídio, um dos policiais que é lotado no 22º Batalhão da PM, disse que é comercializado droga e usuários se encontram também para consumir entorpecente no local. Além de várias casas servir como ponto de prostituição.

“Nós fazemos o embate, abordamos e prendemos, mas sempre a justiça. E nosso efetivo também não é o dos melhores. Temos apenas oito policiais para cuidar de 30 mil habitantes e não podemos ficar de plantão em apenas um local”, disse o policial que preferiu não se identificar.

Este é o sexta caso de morte no município. O que mais revolta os policiais que trabalham naquele batalhão é a falta de efeitovo para o trabalho diário. “Temos duas viaturas, mas não temos efetivo para usa-las. Existe batalhão de cavalaria que tem 25 PM para cuidar de 30 cavalos e aqui temos oito policiais para cuidar de 30 mil pessoas”, desabafou o militar. Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*