Justiça de MT bloqueia R$ 1,3 milhão em bens de prefeito cassado

Júlio Ladeia é suspeito de arquitetar fraude na saúde em Tangará da Serra.
A defesa dele tem 15 dias para apresentar alegações a Justiça.

prefeito cassado de tangará da serra (Foto: Reprodução/TVCA)Prefeito foi cassado por suspeita de envolvimento
em fraude (Foto: Reprodução/TVCA)

O juiz da 1º Vara Federal de Mato Grosso, Julier Sebastião da Silva, determinou o bloqueio de bens, no valor de R$ 1,3 milhão, do prefeito cassado de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR).  O valor bloqueado teria sido indevidamente aplicado em um convênio de saúde.

A decisão faz parte da ação civil pública por improbidade administrativa movida pelo atual prefeito da cidade, Saturnino Masson (PSDB). Segundo o despacho, o bloqueio poderá assegurar futuro ressarcimento aos cofres públicos. A reportagem do G1 tentou entrar em contato sem sucesso com o ex-prefeito. A partir de agora, ele tem 15 dias para apresentar sua defesa à Justiça.

Ladeia teve o mandato cassado no final de agosto do ano passado por suspeita de participação em uma fraude na saúde. Na sessão histórica na câmara municipal, que durou oito dias, mais quatro parlamentares foram cassados diante de suposto envolvimento no mesmo caso. De acordo com o relatório elaborado pela Comissão Processante, 29 irregularidades foram cometidas na contratação de uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) para gerenciar a saúde do município. O prefeito cassado é suspeito de direcionar licitação e desviar dinheiro da saúde.

Responder

comment-avatar

*

*