Ladrões interceptam e roubam carreta com trator de esteiras em MT

Cinco ladrões usando dois carros interceptaram uma carreta que transportava um trator de esteiras, modelo D6, na MT-320, no sábado à tarde, amarraram o motorista em um matagal e roubaram a Scania e o trator.

O assalto foi entre os municípios de Nova Santa Helena (620 km de Cuiabá) e Colíder, onde o trecho da rodovia estadual está em péssimas condições, obrigando os veículos a trafegar em baixa velocidade por causa dos buracos.

De acordo com informações repassadas à Polícia Militar pelo motorista da carreta, Valdemir Luiz Filipeta, de 32 anos, que conseguiu se desamarrar somente no domingo de manhã, os criminosos usavam um Fiat Pálio, de cor cinza, e um Volkswagen Gol, prata.

Os ladrões atravessaram os carros na frente da carreta e já desceram apontando um revólver. O carreteiro se viu obrigado a parar para não ser alvejado por tiros. Depois foi vendado e levado para um matagal em um dos carros, enquanto um dos ladrões saiu dirigindo a carreta. Valdemir não soube precisar para que lado a Scania foi levada.

A carreta transportava o trator de esteiras para as obras da Usina Hidrelétrica de Energia (UHE) Teles Pires, que está sendo construída no extremo-norte do Estado. Tanto a carreta quanto o trator são de propriedade de uma construtora do Rio Grande do Sul.

O montante do prejuízo não foi informado. No entanto,o Olhar Direto apurou junto a empresas de terraplanagem que um D6 pode valer entre R$ 150 mil a R$ 300 mil, dependendo do estado de conservação da máquina. Já a carreta com a plataforma é avaliada em aproximadamente R$ 350 mil.

As polícias Civil e Militar investigam o caso para tentar localizar os bens da construtora. Uma das suspeitas é que eles tenham sido levados para o Sul do Pará.

O local onde aconteceu o roubo fica a cerca de 160 quilômetros da divisa entre os dois estados. Muitos tratores roubados em fazendas no Nortão de Mato Grosso são vendidos para grileiros daquela região, que usam as máquinas em extração ilegal de madeira ou em garimpos clandestinos.

Responder

comment-avatar

*

*