Laudo aponta que tiros que mataram 2 em casa de câmbio partiram de PM

Delegado disse que policial irá responder por duplo homicídio.
Funcionária e policial morreram em tiroteio no mês passado, em Cuiabá.

O resultado do laudo balístico da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) apontou que os disparos que atingiram e mataram uma funcionária de uma casa de câmbio e um policial militar, emCuiabá, partiram da arma de outro PM, de 22 anos, que estava no local. No dia 24 de fevereiro, um homem de 28 anos tentou roubar o estabelecimento, no entanto, houve tiroteio entre ele e o policial. O caso terminou na morte da funcionária de 19 anos e de um PM de 27.

De acordo com o delegado Walfrido Nascimento, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), todos os projéteis das balas que foram retirados dos corpos, além dos fragmentos encontrados no local do crime, saíram da arma do policial militar de 22 anos, que sobreviveu.

Por conta disso, segundo o delegado, o policial deverá responder por duplo homicídio doloso (quando há a intenção de matar). No entanto, pela forma como o crime ocorreu, Nascimento disse que, até o momento, não há necessidade de pedir a prisão do PM. “Ficou claro que o policial ficou conturbado na ação e apenas queria conter o assalto [à casa de câmbio]”, declarou aoG1.

Também ficou comprovado que o outro policial, que morreu no tiroteio, não teria efetuado nenhum disparo. O PM estava sentado, de costas para o suspeito, entre uma parede, enquanto o colega dele, estava de pé ao lado, bem perto da porta do local. Ainda não foi possível dizer se o suspeito atirou durante o tiroteio, muito menos quem iniciou os disparos. O laudo também aponta que as duas vítimas que morreram foram atingidas por um tiro cada uma.

“Ele [o PM que atirou] respondeu a uma ‘agressão’ do suspeito, que pretendia roubar aquele estabelecimento. O que não temos mais dúvidas é que o suspeito caminha poucos passos em direção à atendente, faz um meio giro e já aponta a arma para o policial. Em tese, esse policial estaria em legítima defesa. Quem vai dar essa interpretação legal e penal é o Ministério Público com a aceitação da denúncia”, completou o delegado.

Pelo laudo balístico, a Polícia Civil acredita que tenham ocorridos entre sete e oito disparos. No entanto, o número de tiros pode ser maior, já que alguns disparos podem ter sido feitos para fora da casa de câmbio, no momento em que o suspeito fugia. O delegado classifica que houve um ‘erro de execução’, quando o policial atirou contra o suspeito.

“O PM vai responder por duplo homicídio doloso, porque ele objetivava efetuar aqueles disparos contra o suspeito e, certamente, errou e atingiu a atendente e o amigo. O objetivo dele era cessar [a tentativa de assalto]”, informou o delegado.

Para concluir o inquérito, ainda faltam o laudo de necropsia do corpo do policial e o laudo do local de crime. A previsão do delegado é que na semana que vem a investigação seja finalizada.

Suspeito foi preso pela Polícia Civil dois dias depois da
tentativa de assalto em Cuiabá. (Foto: Carolina Holland/G1)

Investigação
Em depoimento, o PM de 22 anos afirma que apenas revidou os tiros do suspeito, que na versão dele, teria começado o tiroteio. O militar se mostrou bastante assustado com a situação. O militar também diz que 15 minutos antes do fato, ele e o colega chegaram no estabelecimento para beber água. Conforme o delegado, isso era costume dos PMs, já que faziam rondas naquela região.

“Ele [o PM] diz que o nível de transtorno dele é tanto que ele não tinha nem a percepção de ter atirado na atendente e no companheiro de farda. Ele afirma é que quando o rapaz pergunta para ele se ali [na casa de câmbio] emprestava dinheiro, ele já teve uma má impressão. O PM percebeu que o suspeito deixou a porta aberta e isso seria um sinal ruim. Ele sentiu que ele iria agir daquela forma [tentando assaltar]”, detalhou o delegado responsável pelo caso.

O suspeito, que trabalha como mecânico, chegou a fugir do local, mas foi preso no dia 26 em uma chácara na região conhecida como Baú, em Acorizal, a 59 km de Cuiabá. Ele confessou que foi até a casa de câmbio para roubar porque a mulher dele está grávida e o casal precisava de dinheiro. Porém, negou ter matado o PM e a jovem.

Atualmente o suspeito está detido temporariamente no Centro de Ressocialização de Cuiabá (antigo Carumbé). Para o delegado, ele vai responder pela tentativa de assalto na casa de câmbio. Porém, também vai responder por assalto, já que durante a fuga roubou dois carros, uma motocicleta e pertences que estavam nesses veículos.

Responder

comment-avatar

*

*