Mais de 8 toneladas de droga são apreendidas pela PF em Mato Grosso

Apreensões ocorreram em área do estado, entre janeiro a 9 de agosto. Quadrilhas usam aeronaves para facilitar no transporte da droga, diz PF.

Mais de oito toneladas de droga foram apreendidas em Mato Grosso, ao longo deste ano, pela Polícia Federal. Os dados compreendem o período de 1º de janeiro a 9 de agosto, sendo que do total, 5,5 toneladas são de cocaína. Ao G1, o superintendente da PF de Cuiabá, Élzio Vicente da Silva, disse que grande parte dos flagrantes ocorreu na região de fronteira do estado com a Bolívia, rota que quadrilhas especializadas do tráfico têm utilizado para a entrada de droga no país.
Também pontuou o uso de aeronaves de pequeno porte como meio de transporte dos traficantes. “Mato Grosso é rota para a passagem de droga e o uso da aeronave facilita essa prática, pois, a área fronteiriça é extensa”, observou. Alguns flagrantes demonstram a agilidade das quadrilhas que levam apenas dois minutos para pousar a aeronave, descarregar a droga e embarcar novamente.

Os registros demonstram ainda que os pousos não ocorrem, em muitos dos casos. “As quadrilhas são bem articuladas e já demarcam a área ou pista, onde a droga deve ser entregue. Com isso, cooptam pessoas para aguardar no local e nem pousam a aeronave, mas, sim, arremessam as drogas embaladas, com o objetivo de não serem interceptadas [quadrilhas]”, declarou o superintendente.
Na última sexta-feira (9), duas grandes apreensões de droga foram registradas em Mato Grosso com o uso de aeronaves. Uma carga de 443 quilos de cloridrato de cocaína foi localizada em Vila Bela da Santíssima Trindade, município a 562 km de Cuiabá cidade que faz fronteira com a Bolívia. A droga havia sido arremessada por uma aeronave que sobrevoou a fazenda marcada para a entrega.
No local onde a carga foi deixada, um homem a postos para recebê-la acabou preso. Ele estava com aparelhos de rádio e uma pistola. Horas antes, na região rural de Nova Lacerda, cidade a 667 quilômetros de Cuiabá, dois homens de 32 e 58 anos foram presos com cerca de 250 quilos de pasta-base de cocaína. Mais uma vez, uma aeronave de pequeno porte teria feito voos baixos para arremessar a droga, segundo informaram moradores à polícia.

Rota Pantanal
O pantanal mato-grossense também é uma das áreas que tem sido usada pelas quadrilhas como porta de entrada para o entorpecente. A própria Polícia Federal, pelo setor de Combate ao Tráfico, estima que uma tonelada e meia de droga tem entrado na região, por meio de aviões de pequeno porte, a cada 15 dias. Pelo menos cinco pistas de pouso clandestinas já foram identificadas pelos agentes federais no pantanal, somente nos últimos meses. “Também por ser uma área que dificulta a fiscalização, o pantanal é uma das rotas que têm sido privilegiadas pelos traficantes”.
Abate de aviões
Contudo, o superintendente Élzio Vicente destaca que a integração dos órgãos fiscalizadores, como Polícia Civil, Polícia Militar, Gaeco, Gefron e a PF, tem contribuído para a repressão e identificação das organizações criminosas que têm percorrido Mato Grosso. Ressalta também que por conta da fiscalização e prisão, as ações criminosas ficam mais em “evidência” para a população, contestando haver maior atuação das quadrilhas no estado. “A ação delas não aumentou, sempre houve. Mas, atualmente o que ocorre é que os fatos estão vindo a público por conta das prisões e ação dos órgãos competentes”, pontuou.
Ao ser questionado sobre abates de aviões e a possibilidade de haver esse tipo de fiscalização no estado, o superintendente disse apenas ser temerário falar sobre a questão. “Essa é uma questão que passa por aspectos legais. Seria temerário falar de abates se estamos tratando de repressão, o que compete a Polícia Federal e é o que tem sido feito”, finalizou.

G1-MT

Responder

comment-avatar

*

*