Mais de 80% das lavouras do Estado podem sofrer perdas por conta de nematoides

Levantamento da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), através do Circuito Tecnológico, aponta que, em média, 80% das lavouras mato-grossenses de soja da safra 2012/13 apresentam algum tipo de nematoide no solo.

“Nematoide é um sério problema no Estado e mais uma vez nós fazemos um alerta”, afirma o gerente institucional da associação, Nery Ribas. Ele acrescenta que, fora de controle, o problema pode afetar a produção e comprometer seriamente a produtividade.

Dados colhidos durante o Circuito Tecnológico, realizado durante o mês de outubro, mostram que a região Oeste do Estado é que mais apresenta a doença: 92,4% dos entrevistados disseram estar com o solo contaminado. Na região Sul o índice baixa para 83,3%, na Norte 79,3% e, na Leste, 73,1%.

Nery Ribas frisa um ponto positivo: de todas as propriedades visitadas, mais da metade delas, 56%, havia feito análise do solo, um procedimento que não é barato, mas que auxilia o produtor a fazer o controle.

Em todas as fazendas que fizeram análises, o nematoide encontrado foi um de lesão radicular, o Pratylenchus, que apodrece a raiz da planta.

Além da soja, o Pratylenchus ataca também milho, algodão, milheto, sorgo, algumas braquiárias e até ervas daninhas.
Uma vez identificada a doença, não há medidas imediatas que possam ser tomadas. O ideal é a rotação de cultura.

A Crotalária vem sendo utilizada nesse sentido com bastante sucesso e promovendo um controle eficiente dos nematoides. A biotecnologia também vem a favor e já existem variedades de soja resistentes ao problema.

agro.olhardireto

Responder

comment-avatar

*

*