Mato Grosso tem 147 casos suspeitos de microcefalia, diz secretaria

Trinta e sete casos foram descartados após reavaliação de exames.
Secretaria de Saúde investiga 110 casos em 52 cidades do estado.

O número de casos suspeitos de microcefalia em Mato Grosso, neste ano, chega a 147, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (27) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Segundo o levantamento, desse total, 110 casos estão em investigação em 52 cidades, entre eles duas mortes. Trinta e sete casos foram descartados.

Bebês que nascem com microcefalia têm o cérebro menor que o esperado e, em 90% dos casos, têm o desenvolvimento comprometido.

As cidades com maior número de casos suspeitos são: Rondonópolis (com 69) e Cáceres (com 12 casos). Os outros registros foram em Cuiabá (5), Mirassol D’oeste, Alto Garças (2), Itiquira (2), Pedra Preta (2), São José do Povo (2), Glória D’oeste (2) e Salto do Céu (2). Alto Araguaia, Jaciara, Jauru, Peixoto de Azevedo, Tesouro, Sapezal, Lambari D’oeste, Rio Branco e Juara também notificaram casos suspeitos da doença.

Sobre os 37 casos descartados, a secretaria informou que o descarte foi feito após uma reavaliação de exames feitos por pediatras que calculam o tamanho da cabeça dos bebês. Os casos descartados são de Cáceres (36 casos) e Pontes e Lacerda (apenas 1 caso).

De acordo com o Protocolo de Vigilância e Resposta à Ocorrência de Microcefalia, do Ministério da Saúde, o resultado da medição da cabeça de um recém-nascido para caracterização de um caso suspeito de microcefalia precisa ser de 32,0 cm. A medida igual ou inferior a esse valor será considerada para notificação do caso suspeito de microcefalia.

 

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome informou nesta quarta-feira (27) que mães de crianças diagnosticadas com microcefalia podem se inscrever no Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O auxílio tem o valor de um salário mínimo por mês e é normalmente concedido a idosos com mais de 65 anos que não recebem aposentadoria e a pessoas diagnosticadas com um algum tipo de deficiência.

Orientações
Todas as referências que atendem o Sistema Único de Saúde estão orientadas a receber os pacientes para o acompanhamento neurológico. O Ministério da Saúde orienta as gestantes que mantenham o acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico.

É importante também que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, não só em suas residências, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*