Membros da maior quadrilha de sequestradores de Mato Grosso são presos em dois estados

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso conseguiu localizar o paradeiro de três integrantes da maior quadrilha de sequestradores que atuou em vários crimes no Estado, nos anos de 1996 a 2009. Entre as extorsões mediante sequestro estão casos de repercussão pela violência empregada, como o sequestro do diretor presidente da Coca-Cola, de Várzea Grande, em 1996, do empresário Khalil Malouf, em 1998, do filho do dono da Transportadora TransOeste, de Rondonópolis, 1999. Também é atribuída a quadrilha o sequestro do empresário dono da Todimo, em 2009.

As prisões foram efetuadas nos Estados do Amazonas e do Mato Grosso do Sul, por equipes policiais da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO/PJC-MT), Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), da Polícia Civil do Amazonas e Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Resgate, Assaltos e Seqüestros (GARRAS), da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. As diligências finalizaram neste fim de semana, mas outros dois integrantes do bando ainda são procurados.

Em Campo Grande (MS) foi preso, na quinta-feira (04.12), o sul-mato-grossense, José Italívio Martins, 52 anos, conhecido por (Itá), condenado a mais de 11 anos por crime de roubo mediante extorsão. Em Manaus (AM), na terça-feira (02.12), foi preso o líder da quadrilha, André Amarildo Teodoro de Souza, 49 anos, conhecido por “Dedé”, natural do Estado do Paraná, e seu sobrinho Humberto César Cassiano, 39 anos, o “Beto”, nascido em São Paulo.

Os três possuem antecedentes criminais e são contumazes em crimes de sequestros. Apenas André Amarildo Teodoro de Souza não tinha sido preso anteriormente, pela Polícia Civil de Mato Grosso, e constava como foragido da Justiça há mais de 18 anos. O criminoso se refugiou no Estado do Amazonas, desde que teve mandados de prisão decretado no curso das investigações da Divisão Anti-Sequestro da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). Ele tinha três mandados de prisão pendentes de cumprimento.

José Italívio Martins, o “Itá”, além do cumprimento do mandado de prisão preventiva por crime de extorsão mediante sequestro,  foi autuado em flagrante pelo GARRAS de Campo Grande (MS) por incorrer em  crime de desobediência, ao tentar fugir da polícia, e crime de trânsito, pois foi detido conduzindo uma motocicleta de alta cilindrada sem possuir habilitação.

O criminoso, José Italívio Martins, foi denunciado pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul, juntamente com comparsas, no roubo de uma aeronave em que o piloto Manoel Coutinho Dias foi arremessado para fora do avião em pleno vôo. Em audiência de instrução e julgamento, na Comarca de Aquidauana (MS), José Italívio mencionou que foi chamado para praticar outro crime de sequestro em Mato Grosso, desta vez em parceria com o co-réu  Luiz Antonio Pereira Leite de Souza. A vitima seria um velho fazendeiro na divisa de Goiás com Mato Grosso.

Os mandados cumpridos na semana passada foram expedidos pela Vara Única da Comarca de Santo Antonio de Leverger (34 km ao Sul), onde os acusados respondem um dos processos em andamento pelo cometimento de crime de extorsão mediante sequestro. Segundo as investigações do GCCO, a quadrilha agia fortemente em sequestros no Estado de Mato Grosso e também no roubo de aeronaves para ser comercializadas por drogas na Bolívia.

Em Manaus, na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos e Defraudações (DERFD), o chefe da quadrilha mais atuante em sequestros no Estado de Mato Grosso, André  Amarildo Teodoro confessou a participação em pelo menos mais três casos de sequestros ocorridos em Mato Grosso e Humberto Cesar Cassiano não se manifestou, mas tem contra si vários mandados de prisão a serem cumpridos.

Escrito por Luciene Oliveira – Assessoria/PJC-MT

Responder

comment-avatar

*

*