Memória às vítimas do trânsito

Morrem cerca de 1,2 milhão de pessoas vítimas de acidentes

Todos os anos, no terceiro domingo do mês de novembro, conforme a Resolução 60/5 adotada em 26 de outubro de 2005 da Assembleia Geral das Nações Unidas, os estados – membros e a comunidade internacional são convidados a designar o “Dia mundial em memória às vítimas de trânsito”.

Tal dia vai sendo incorporado gradativamente ao calendário de eventos dos países membros. As ações pelo dia mundial em memória às vítimas de trânsito, no Brasil, começaram em 2007 por iniciativa da sociedade que conseguiu mobilizar várias cidades brasileiras e a partir dessa iniciativa as ações vem sendo realizadas cada vez de forma mais intensa.

Por ano, no mundo, morrem cerca de 1,2 milhões de pessoas vítimas de acidentes de trânsito, sendo na sua grande maioria de jovens entre 18 e 25 anos. Com base em dados da OMS de 2007, houve 35,1 mil mortes causadas por veículos no Brasil. Em termos absolutos, esse número só é inferior ao de outros quatro países: Índia (105,7 mil), China (96,6 mil), Estados Unidos (42,6 mil) e Rússia (35,9 mil). O Brasil ocupa o ranking do quinto país com mais mortes no trânsito e na maioria dos acidentes que não ocorrem mortes acabam gerando grave problema social, que é a invalidez de pessoas. De acordo com o sistema de informações de mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde em 2010, 40.610 pessoas foram vítimas fatais do trânsito, sendo que, 25% delas por ocorrências com motocicletas. Entre 2002 e 2010, cresceu 24% o numero total de óbitos por acidentes com transporte terrestre que passou de 32.753 para 40.610 mortes. Entre as regiões do Brasil, o maior percentual de aumento na quantidade de óbitos (entre 2002 e 2010) foi registrado no norte (53%), seguindo do nordeste (48%), centro- oeste (53%), e sudeste (10%).

A comemoração pública serve como uma oportunidade para aumentar a conscientização pública em relação à quantidade de acidentes causados nas rodovias e avenidas, e ao custo dos acidentes rodoviários para as comunidades, e enfatizar a necessidade de começar a promover esforços para controlar este importante problema de saúde e desenvolvimento de apoio às vitimas. Nesta data são celebradas não só as pessoas que morreram em decorrência das fatalidades no trânsito, mas também, familiares, amigos e todos aqueles que sofrem a perda de entes queridos com tal tragédia.
“Quando somos imprudentes no transito, nossos sonhos se chocam com a realidade.”

HAVENY TAQUES –  É coordenadora-geral de educação para o trânsito – DETRAN-MT. Via Mídia News

Responder

comment-avatar

*

*