Mesmo com perdas, Brasil terá safra recorde de grãos aponta Expedição Safra

Problemas climáticos causaram prejuízos em muitas regiões, mas boa produção em estados chave irá compensar no balanço final

 O Indicador Colheita da Expedição Safra Gazeta do Povo, divulgado nesta segunda-feira (25), revela que, apesar de problemas com os veranicos no Sul e no Centro-Norte e excesso de chuva no Centro-Oeste, o Brasil vai colher uma supersafra de grãos de 185 milhões de toneladas. A soja e o milho (verão e inverno) serão responsáveis por 83% da produção, chegando a 153,55 milhões de toneladas.

 O levantamento apurou uma expansão de 21,9% na safra de soja em relação ao ciclo 2011/12, passando de 66,95 milhões de toneladas para 81,62 milhões de toneladas. Já no milho de verão, a variação é de 0,43%. A produção do grão passou de 36,14 milhões de toneladas para 36,30 milhões de toneladas. Enquanto isso, a safra de inverno será responsável pela produção de 37,3 milhões de toneladas de milho.

 Em alguns estados afetados por uma série de veranicos, as perdas foram expressivas. É o caso dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Piauí, Maranhão e Bahia. No Sul do Mato do Sul, houve perdas de até 60%. Em Santa Catarina, na região de Campos Novos, mesmo as áreas replantadas apresentaram quebra de 30%.

Mas a expansão da área cultivada em todo o país e produtividades acima da expectativa em alguns estados chave sustentam a supersafra de soja. A extensão dedicada à oleaginosa passou de 25,16 milhões de hectares no ciclo passado para 27,55 milhões de hectares nesta temporada, um salto de 9,5%. Em grande parte dos casos, as novas lavouras estão ocupando áreas de pastagem.

Perdas que tinham sido estimadas para Mato Grosso, Paraná, Minas Gerais e São Paulo foram menores que o esperado e, mesmo enfrentando problemas pontuais com o clima, esses estados estão encerrando a temporada 2012/13 com produtividades médias acima do projetado pela Expedição no período de plantio, ajudando a contrabalancear as perdas registradas em outras regiões.

Os números são resultado da pesquisa de campo realizada pela Expedição Safra nos últimos meses. As equipes técnico-jornalísticas visitaram 14 estados para checar in loco a produção nas principais regiões produtoras do Brasil.

 Produtividade

De acordo com o Indicador, a média nacional de produtividade da soja acabou caindo por causa da irregularidade climática. Enquanto na safra passada a média ficou em 2,99 mil quilos por hectare, neste ciclo a média ficará em torno de 2,96 mil quilos por hectare.

O Mato Grosso, líder nacional na produção de soja com 29,3% da safra nacional, fechará a temporada 2012/13 com uma produtividade média de 3,15 mil quilos por hectare, abaixo do registrado no ano passado quando o estado colheu uma média de 3,18 mil quilos por hectare. Porém, a média atual ainda é superior do que havia sido projetada há cerca de três meses, quando o levantamento apontava uma produtividade de 3,05 mil quilos por hectare. Com esses números, os mato-grossenses irão colher 8,6% a mais do que no ciclo passado.

No oeste baiano, houve grande oscilação nas medias de produtividade. Em Formosa do Rio Preto, alguns produtores esperavam colher 65 sacas por hectare, mas não devem colher nem 20. Já em São Desidério, algumas lavouras vão render 10% a mais do que no ano passando chegando a colher 65 sacas por hectare.

No Sudeste o cenário é completamente diferente. A neutralidade climática fez que com agricultores atingissem novos recordes de produtividade. No Sudoeste de São Paulo, algumas lavouras renderam 4 mil quilos por hectare.

No caso do milho verão, Minas Gerais e Paraná, que são os dois principais estados produtores, tiveram aumento de produtividade. As lavouras mineiras devem render 5,85 mil quilos por hectare, enquanto na safra passada a média da produtividade ficou em 5,65 mil quilos por hectare.  No Paraná, a produtividade passou de 6,5 mil quilos por hectare para 7,95 mil quilos por hectare.

Responder

comment-avatar

*

*