Militares aceitam proposta e descartam greve na Copa

Segundo major Wanderson Nunes, Executivo aceitou 70% das reivindicações.

Após um mês de conversações e tentativas de acordos com o Governo do Estado, os bombeiros e policiais militares de Mato Grosso aceitaram a última proposta feita pelo Poder Executivo e descartaram entrar em greve durante da Copa do Pantanal. 

A decisão é reflexo da reunião de ontem (9) no Palácio Paiaguás. 

O encontro entre o governador Silval Barbosa (PMDB), o secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, e representantes dos sindicatos da categoria durou o dia todo e definiu pontos a serem discutidos em assembleia geral.

Ao MidiaNews, o presidente da Associação dos Oficiais (Assof), major Wanderson Nunes de Siqueira, afirmou que a proposta do Estado garantiu 70% das reivindicações dos militares e uma paralisação, neste momento, não teria sentido.

“Nós conseguimos praticamente 70% do que propomos desde o começo, o que significa, principalmente, uma correção salarial numa faixa de 30%, bem como nossa progressão horizontal em todas as patentes”, explicou. 

“Também foi avaliado na assembleia de hoje que não teria lógica parar nesse momento, dada as condições e prazos. Levamos em conta, ainda, a necessidade da sociedade de ter segurança. Uma paralisação agora iria trazer muito transtorno para Capital e interior”, completou.

Na prática, a correção salarial deverá ser feita em três vezes, sendo uma parcela ainda neste ano e duas em 2015. 

“Agora vamos levar até o Governo que acatamos e, a partir daí, deve ser avaliada e publicada a lei”, disse Siqueira.MÍDIA NEWS 

 

Responder

comment-avatar

*

*