MP arquiva investigação de fraude no concurso público de Nova Xavantina

O Ministério Público de Nova Xavantina promoveu o arquivamento do procedimento investigatório que apurava suposta fraude no concurso público de Nova xavantina.

Considerando uma denúncia apócrifa, o MP, antes de determinar a abertura do Inquérito Civil, realizou uma investigação prévia, onde determinou intimações das pessoas supostamente envolvidas, onde, entre elas, fora ouvido o prefeito Gercino Caetano e o secretário de administração Edivaldo Celestino Barbosa, o Dizé.

Foi denunciado ao ministério público que várias pessoas ligadas direta e indiretamente com a administração pública teria se beneficiado com cartão respostas ou qualquer outro tipo de fraude. Além disso, o denunciante afirmou que o prefeito Gercino teria ido a casa de uma candidata pegar o numero da inscrição para a mesma se lograr aprovada no concurso do município.

Após ouvir todas as testemunhas, e considerando que o denunciante escondeu-se no anonimato, o ministério público, na pessoa do Dr. Milton Mattos, não restou dúvida que poderia ser uma denuncia para tentar denegrir a imagem do prefeito e de seus subordinados. “Além, é claro, de ter sido motivada por algum candidato que não passou e resolveu fazer de tudo para anular o certame”, explica o promotor.

A candidata que supostamente teria sido beneficiada, disse em seu depoimento que o prefeito Gercino é amigo de seu pai, porém, jamais foi em sua casa pegar numero de inscrição. O prefeito também afirmou ser amigo do pai da candidata, no entanto, afirmou categoricamente que nunca foi na casa de ninguém buscar numero de inscrição para beneficiar nenhuma pessoa.

Sobre tal feito, o MP afirma que o denunciante cometeu um erro, onde supõe que o prefeito teria ido à casa da candidata buscar o numero de inscrição. “Ora, no cartão de resposta consta o nome do candidato, assim, nenhuma utilidade haveria em pegar o numero de inscrição”, relata o MP, lembrando que, a candidata fez 80 pontos e a mesma assinatura do cartão resposta foi assinada no depoimento no PROJUS.

A respeito dos candidatos que pontuaram sem fazer a prova, o MP expôs que após analisar o resultado provisório das provas, constatou que os mesmo obtiveram 02 pontos, porém, no resultado definitivo do concurso, o erro foi corrigido e os candidatos em comento foram declarados ausentes.

O MP ainda salientou na promoção de arquivamento que os integrantes da comissão do concurso são pessoas respeitadas e que, até o presente momento, jamais se envolveram em irregularidades, não havendo, portanto, porque duvidar de suas condutas.

noticiasnx

Responder

comment-avatar

*

*