MT é 8º estado mais violento do Brasil, aponta estudo

Levantamento é de 2012 e foi divulgado no início do ano: Estado teve 33,1 mortes para cada 100 mil habitantes

O Estado de Mato Grosso é o oitavo mais violento do país. O levantamento foi feito em 2011 e 2012 e foi divulgado no início deste ano, no 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

A pesquisa leva em conta o número de mortes intencionais a cada 100 mil habitantes ou, como diz na pesquisa, os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI).

No caso de Mato Grosso, foram 33,1 mortes para cada 100 mil habitantes

O número é bem menor que o primeiro lugar, Alagoas, que fechou os dois anos com 61,8 mortes por cada 100 mil habitantes.

Para comparação, o estado do Nordeste teve 2.399 mortes em 2011 e 1.955 em 2012. Mato Grosso, por sua vez, teve, respectivamente, 1.015 e 1.032 mortes.

No Estado, grande parte dessas mortes está relacionada a homicídio doloso (quando há intenção de matar) e latrocínio (roubo seguido de morte).

Trânsito e outros

Apesar de focar nos crimes violentos e estes serem homicídio doloso e latrocínio, o 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública também quantifica as mortes no trânsito.

De acordo com o levantamento, em 2011, em números absolutos, 465 morreram por homicídio culposo no trânsito. Em 2012, esse número foi de 455 pessoas.

O número de mortes acidentais – excetuando-se o homicídio culposo – em 2011 foi de 158 e, em 2012, foi de 167.

A pesquisa também indica que 19 pessoas e 36, respectivamente em 2011 e 2012, morreram devido outros crimes.

Suicídio também é citado no levantamento. Em Mato Grosso, 152 atentaram contra a própria vida em 2011 e 172 em 2012.

Um tabu

Ao apresentar o sétimo estudo sobre Segurança Pública no Brasil, a equipe do Fórum Brasileiro de Segurança Pública taxou de “tabu” o tema no país e citou tanto as manifestações de junho passado como a campanha eleitoral para este ano.

“Em meio à comemoração dos 25 anos da Constituição Federal de 1988, no momento em que os governos e as polícias estão administrando as demandas geradas pelas manifestações sociais que tomaram as ruas desde junho deste ano e, ainda, no contexto da definição dos contornos da disputa eleitoral de 2014, segurança pública continua sendo um tema tabu no Brasil”.

Para a equipe que coordenou o estudo, é visível que os brasileiros vivem em uma “sociedade fraturada e com medo”.

“Não bastasse isso, os dados também indicam que o nosso sistema de segurança é ineficiente, paga mal aos policiais e convive com padrões operacionais inaceitáveis de letalidade e vitimização policial, com baixas taxas de esclarecimentos de delitos e precárias condições de encarceramento. Não conseguimos oferecer serviços de qualidade, reduzir a insegurança e aumentar a confiança da população nas instituições. Isa Sousa – MidiaNews

Responder

comment-avatar

*

*