Mulher que se passava por médica é presa em Centro de Saúde de Cuiabá

Ela foi detida por exercício ilegal da profissão, diz polícia.
Jovem teria apresentado diploma falso de universidade em Goiás.

Uma mulher de 29 anos que atuava como médica em uma unidade de Saúde de Cuiabá foi presa nesta segunda-feira (17) por exercício ilegal da profissão. O flagrante ocorreu no momento em que ela atendia um paciente na sala de consulta do Serviço de Atendimento Especializado (SAE) em DST/Aids, anexo ao Centro de Saúde do bairro Grande Terceiro. A jovem, que foi liberada após o flagrante, teria um diploma falso de médica com assinaturas de uma universidade particular de Goiás.

Ela negou as acusações na delegacia da Polícia Civil e assegurou ser formada em medicina. Ela foi contratada pela Prefeitura Municipal em abril deste ano para atender na unidade de Saúde. A Secretaria Municipal de Saúde emitiu nota informando que vai aguardar os resultados das investigações para tomar medidas a respeito.

Investigações
Segundo o Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT), a jovem está sendo investigada desde o dia 4 de agosto, quando a entidade recebeu denúncia dando conta de que a inscrição dela estava irregular por ser de outro estado.

Naquela ocasião, a funcionária trabalhava na policlínica do Coxipó. O CRM enviou um médico à unidade para averiguar a situação e ele constatou a irregularidade no documento. A pedido do CRM, ela compareceu na sede da entidade no dia 5 de agosto, ocasião em que apresentou o diploma de medicina obtido em uma universidade do estado de Goiás.

“Ela nos mostrou o documento original e tiramos apenas uma cópia dele. Encaminhamos o diploma para a universidade e a própria diretoria verificou que se tratava de um documento falso. Também apurou que o nome da suspeita não constava em nenhum cadastro de formandos”, explicou a advogada do CRM, Mariely Ferreira Macedo.

Depois disso, a advogada contou que o CRM fez o requerimento da instauração de um inquérito policial para apuração dos crimes de exercício ilegal de medicina, falsificação e uso de documentos falsos. No último dia 10, de acordo com Macedo, a Secretaria Municipal de Saúde e o Ministério Público de Mato Grosso foram notificados para que a funcionária fosse afastada do cargo durante a investigação.

No entanto, nessa sexta-feira o CRM recebeu uma nova denúncia de que a suposta médica  estaria exercendo a função irregularmente no posto de saúde do bairro Grande Terceiro.

“Mantivemos a agenda dela para que fosse feito o flagrante. A polícia esteve no local e efetuou a prisão”, relatou a advogada. No local, a jovem atendia como especialista em saúde mental e clínica geral. Ela prescrevia receitas a pacientes e, em alguns casos, de remédios controlados.

Nesta segunda-feira, a funcionária prestou depoimento à Polícia Civil e, ao contrário do que foi dito ao CRM-MT, revelou ter se formado no curso de medicina em uma universidade da capital mato-grossense. Após o flagrante e depois do depoimento ela foi liberada e deverá responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por exercício ilegal da profissão e deverá comparecer em audiência agendada no Juizado Especial de Cuiabá, no mês de dezembro.

Prefeitura
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informou que está aguardando os desdobramentos e resultados da investigação policial para tomar providências legais quanto ao caso. Até lá, entretanto, a servidora terá suas funções suspensas, acrescenta a nota.

“Em relação à sua contratação, a servidora preencheu e apresentou todos os documentos obrigatórios e certificado de conclusão do curso de medicina devidamente autenticados. O processo se deu pelo setor de Recursos Humanos da Diretoria de Atenção Secundária, no recebimento de todos os documentos requisitados na ficha de cadastro do servidor, com todos os documentos probantes, encaminhados à Secretaria de Gestão da Prefeitura de Cuiabá”, completa a nota.

Responder

comment-avatar

*

*