No Dia do Professor, Silval Barbosa reforça apelo por fim da greve na rede pública de ensino de MT

Mesmo assegurando que “não condições de melhorar a contraproposta, porque o Estado chegou no limite”, o governador Silval Barbosa (PMDB) utilizou o Dia do Professor, comemorado nesta terça-feira (15/10), para convocar todos os profissionais do ensino público a retornarem ao trabalho, no máximo até a próxima sexta-feira (18/10). “A preocupação do governo, dos pais e dos alunos é com as aulas; é com salvar o ano letivo”, afirmou Barbosa, após participar da abertura do Seminário ‘25 Anos da Constituição Cidadã’, na manhã desta quarta-feira, no Centro de Eventos do Pantanal, promovido pelo Grupo Gazeta de Comunicação.

Silval disse que há exageros da parte do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep) e pede para que haja bom senso, em defesa dos quase 450 mil alunos de Mato Grosso. “Neste dia, desejo agradecer àqueles que voltaram para o trabalho. Já são quase 500 escolas no Estado, em funcionamento total ou parcial. E desejo fazer um apelo para os professores que ainda não voltaram, para que retornem logo”, defende ele.

Silval Barbosa afirma que irá voltar a negociar com os profissionais da Educação após o retorno às atividades. “O governo nunca fechou as portas para o diálogo e, por isso, estamos conclamando para que todos os servidores voltem ao trabalho”, pontua ele.

Em assembléia geral na última sexta-feira (10), o Sintep submeteu a proposta à categoria, que decidiu manter a grave, que já passa de dois meses.

Silval Barbosa preferi ucitar que o governo de Mato Grosso paga o terceiro maior piso salarial do Brasil. E que convocou mais de 10.200 aprovados em concurso público. “O Governo do Estado já concedeu reajuste salarial de 49,44% para a categoria [no atual mandato], o que significa 25,89% de ganho real. Isso é inédito no país”, assegura ele.

Silval lembra que vários acordos foram propostos aos profissionais da Educação. “No entanto, eles não cederam e insistem na greve. Sendo assim, o Governo do Estado, além de lamentar, está consciente de que fez-se o máximo na negociação. O Governo cedeu tudo o que pôde”, defende ele.

“Considerando as decisões judiciais, o Governo apela ao bom senso dos profissionais da Educação e conclama no sentido de retornarem imediatamente ao trabalho”, completa ele.  Olhar Direto / Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Responder

comment-avatar

*

*