Nova Mutum: construção de ponte queimada pode demorar

Os prefeitos de Nova Mutum, Adriano Pivetta, e de São José do Rio Claro, Natanael Casavechia, estiveram reunidos, ontem, com o secretário estadual de Transporte e Pavimentação Urbana, Cinésio de Oliveira. Eles pediram rapidez do governo do Estado na reconstrução da ponte de madeira no rio Arinos, na MT-235, na divisa entre os dois municípios. No entanto, a resposta que receberam não foi nada animadora.

Segundo o prefeito de Nova Mutum, ficou agendada para o dia 15 deste mês a realização de uma vistoria técnica dos servidores da pasta estadual para analisar o que pode ser feito. Nenhuma medida emergencial foi apontada para amenizar o problema, por parte do secretário de Estado. Mesmo com esta vistoria agendada, não há previsão de quando a ponte poderá ser recuperada.

Durante a reunião, Adriano sugeriu uma parceria entre os municípios e o governo na realização de uma ação emergencial. Segundo o gestor, o município se comprometeu em auxiliar no que for preciso para reconstruir a ponte, mas necessita da ajuda do governo, já que a obra é de responsabilidade deste ente. Porém, não houve acordo. Adriano disse que protocolou todos os documentos necessários e fotos sobre o caso na secretaria.

Desta forma, o tráfego de centenas de pessoas continuará comprometido. A rodovia liga São José a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde chegando até a BR-163. Há grande número de produtores, comerciantes, moradores das três cidades que utilizam a via e agora terão que andar, em média, cerca de 70 quilômetros a mais, pela MT-235. O acesso a São José também pode ser feito via MT-249 ou pela região de Tapurah-Nova Maringá. Esta ponte foi construída em 2006, na segunda gestão de Adriano Pivetta, quando foi aberta a MT-235.

Conforme Só Notícias já informou, há ndícios que foi ateado fogo na ponte, que tinha cerca de 100 metros de extensão. “Isto foi um crime. A ponte poderia não estar em boas condições. Mas estava trafegável. Não se justifica um ato criminoso”, disse o Adriano, ao Só Notícias.

Responder

comment-avatar

*

*