Novas taxas do Detran-MT podem gerar reclamações aos servidores

As novas taxas de serviços do DETRAN-MT com aumento de até 700% passam a vigorar a partir do dia 12, próxima quinta-feira, e podem gerar reclamações pelos contribuintes por não terem um serviço que corresponda aos valores cobrados. A diretoria do Sindicato da categoria analisa que normalmente quando há elevação de preços na prestação de serviços o usuário tende a cobrar também melhorias na estrutura do atendimento, no entanto, esta não é a realidade vivida hoje no Detran-MT.O crescimento da frota de veículos do ano de 2000 a 2011, segundo dados do próprio Departamento de Trânsito foi de mais de 204%. Mato Grosso possui hoje uma frota de 1.336.358 veículos. A frota cresceu a média 10 mil veículos ao mês nos últimos 12 meses, e levando em consideração os três milhões de habitantes, a média é de um veículo para cada três pessoas. Apesar do aumento da frota, que significa maior demanda de atendimento, o número de servidores nem de longe corresponde ao ideal para prestar um serviço de qualidade e rapidez. Segundo a presidente do Sinetran-MT, Veneranda Acosta, na última década houve um grande aumento na frota do Estado, porém o número máximo de servidores permitido na lei de carreira ficou praticamente estático.

“Em 2001 a frota do Estado era de 486.885 veículos e hoje é de mais de 1.336.358, já o quadro de servidores em 2001 era de 715 e atualmente é de 767, e vale ressaltar que nunca tivemos todas essas vagas preenchidas, nem mesmo atualmente”. Os 300 concursados efetivados pela Autarquia pouco acrescentaram na estrutura geral de servidores. Além do número reduzido de servidores para o atendimento ao público, o Detran-MT ainda enfrenta dificuldade com o sistema informatizado que ainda não é plenamente eficaz. “Aliado ao número reduzido de servidores, em caso de pane do sistema, os atendentes é que vão sofrer as conseqüências das reclamações, caso a população que passa a pagar bem mais caro pelos serviços, não encontrar melhorias na Entidade”, observa Veneranda. Mas não são apenas os proprietários de veículos que podem reclamar dos serviços. A expedição de Carteira Nacional de Habilitação – CNH também cresce em ritmo acelerado. Por ano são mais de 60 mil novas carteiras de motorista, o que também provoca um aumento de demanda de atendimento no Detran-MT. Veneranda Acosta faz a defesa dos servidores: “são eles que estão na linha de frente, ou na linha de tiro das reclamações que são justas, porém ficam de mãos atadas dentro de uma estrutura física que não acompanha o crescimento da população mato-grossense, e sobrecarregados em trabalho por falta de mais servidores no atendimento diário aos cidadãos” e lembra que é necessário e urgente que sejam nomeados as pessoas classificadas no último concurso público, onde seja possível ao menos adequar a atual demanda de serviços no Departamento Estadual de Trânsito.

interativa fm

Responder

comment-avatar

*

*