Novo caso de dengue hemorrágica é confirmado em Mato Grosso

Caso foi registrado em Tangará da Serra, a 242 KM de Cuiabá.

Vítima é uma mulher de 32 anos com quadro de saúde estável.

 Mais um caso de vítima de dengue foi notificado em Tangará da Serra, a 242 quilômetros de Cuiabá. Este é o segundo caso de dengue hemorrágica confirmado no estado. Uma mulher de 32 anos contraiu o tipo mais grave da doença. O quadro de saúde da mulher é estável, mas a cidade ficou em alerta. Por conta disso, os agentes estão intensificando o trabalho de combate ao mosquito no bairro onde o caso foi registrado.

No município estão sendo realizados trabalhos de bloqueios para matar os mosquitos adultos. Já as larvas são combatidas com a prevenção. Mas muitas construções estão apresentando riscos para os moradores do local.

O agente de saúde ambiental Claudecir dos Santos relatou o perigo que uma caixa d’água destampada, por exemplo, pode causar aos moradores. “É um local propício ao criador do mosquito. Além disso, o criadouro é muito difícil de ser destruído, pois a caixa d’água é muito grande e fica difícil de virar. Além disso, ela está fixada no chão. Como o mosquito bota o ovo na parede, a água teria que chegar até a parede por meio de um vento. Em meia hora ele eclode e em uma semana o mosquito está formado”, observou.

Esta é a segunda vez que os agentes fazem o trabalho de bloqueio no bairro onde houve a primeira confirmação do tipo mais grave da doença em Tangará da Serra, a dengue hemorrágica. Uma mulher foi infectada pelo vírus e ficou três dias internada. De acordo com o agente de saúde ambiental Alan Moreira um foco do mosquito foi encontrado dentro da casa dela.

“Podemos verificar que na casa há bastante garrafas que estão de boca para cima ao passo que elas deveriam estar de boca para baixo. Estes recipientes podem estar acumulando água e sendo pontos de criador do mosquito”, observou.

A agente de saúde ambiental Andréia Martins faz um apelo a população. “Nós pedimos para que as pessoas tenham mais atenção, para estar olhando neste período chuvoso e se preocupando mais. A doença é perigosa e está matando”, avaliou.

G1 MT

Responder

comment-avatar

*

*