Obras do aeroporto têm atraso alarmante; há risco de não ficar pronto para Copa

Em sete meses, as obras de reforma e ampliação do aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, chegaram ao percentual de apenas 13% da conclusão. Esse foi o dado mais alarmante do sexto relatório das obras da Copa do Mundo em Mato Grosso divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). O atraso, mais do que preocupante é um alerta sério: no atual ritmo, seria praticamente impossível o término das obras até junho de 2014, quando acontecem os jogos do Mundial.

Como uma das principais exigências da Matriz de Responsabilidade para a Copa do Mundo de 2014, a preparação dos aeroportos em 11 das 12 cidades-sede não está agradando a Fifa, o COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo) e nem o Governo Federal. Cuiabá, como uma das sedes mais atrasadas com a reforma de seu aeroporto entrou na mira dos organizadores do Mundial.

O cronograma firmado com as construtoras, determina a conclusão dos trabalhos de ampliação até março de 2014. À frente da obra, o consórcio Marechal Rondon, formado pelas empresas Engeglobal Construções, Farol Empreendimentos e Participações e Multimetal Engenharia e Estruturas. De acordo com a estimativa do TCE, a obra deveria estar pelo menos 43% concluída.

O total das medições informadas pela Secretaria Extraordinária da Copa até o final do mês de junho, não chegou a R$ 11 milhões, o que significa um terço do previsto. Nesse ritmo, a obra só seria entregue em julho de 2015, mais de um ano após o Mundial. O prazo de entrega é dia 8 de março de 2014.

O valor contratado para a reforma e ampliação do aeroporto Marechal Rondon é de R$ 77,2 milhões. Os trabalhos tiveram início em 13 de dezembro do ano passado, com prazo de execução de 450 dias. Até agora, foram feitos trabalhos com movimentação de terra, demolição do antigo setor de desembarque, erguimento de estrutura metálica e construção de prédios na área de estacionamento.

O aeroporto, juntamente com as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), trincheira Jurumirim e Centro Oficial de Treinamento da Barra do Pari, em Várzea Grande formam o conjunto das obras mais atrasadas e preocupantes em Mato Grosso para o Mundial, de acordo com o relatório do Tribunal de Contas. O relator da Copa no TCE, conselheiro Antonio Joaquim voltou a alertar sobre os atrasos e mais uma vez cobrou plano de providências da Secopa.Ohar Direto

Responder

comment-avatar

*

*