Operação lei seca na BR 364; 210 veículos foram fiscalizados

Na tarde deste domingo (02) foi realizada mais uma edição da operação Lei seca em Cuiabá. A operação que é coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança contou com a participação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Polícia Civil (PJC), Polícia Militar (PM), Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN-MT), a Secretaria Municipal de trânsito (SMTU) e Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran).
O coronel Átila Wanderley da Silva coordenador geral da operação estava presente, assim como o superintendente regional da PRF no estado do Mato Grosso, Kellen Arthur Preza Nogueira, que também acompanhou e participou de toda a operação que teve como coordenador na PRF o inspetor Raphael Guerra, chefe de Policiamento e Fiscalização da instituição.
O evento que ocorre periodicamente em diversos pontos da capital e também em cidades do interior, desta vez aconteceu na BR 364, KM 399 no distrito industrial em Cuiabá, onde foram empregadas 15 viaturas (automóveis, motocicletas, ônibus, van) 45 agentes somando todos os órgãos participantes e teve como resultado a abordagem de centenas de condutores que chegavam à capital. Além de todo o aparato de agentes e viaturas, no local também se encontrava  uma unidade móvel da delegacia de trânsito com a presença do delegado Dr. Christian Alessandro Cabral, titular da Deletran.
Esta edição da lei seca contou ainda com o apoio da concessionária Rota do Oeste que administra a rodovia.
Durante a operação que teve duração de, aproximadamente, duas horas, foram realizados:
  • 210 veículos foram fiscalizados e todos os condutores passaram pelo teste do etilômetro (bafômetro), sendo que 17 foram autuados e 8 deles foram presos por dirigir sob efeito de álcool.
  • Foram recolhidas 18 CNH (Carteiras Nacionais de Habilitação), 06 certificado de registro e licenciamento de veículos, 01 veículo foi removido.
  • Além da embriaguez ao volante, dezenas de outras infrações foram detectadas, como falta do uso de cinto de segurança, CNH vencida, condutor sem habilitação entre outras e foram então registrados 34 autos de infração diversos do CTB (Código de trânsito brasileiro).
“Na medida em que avançamos fortalecemos a integração e melhoramos os procedimentos. Percebemos que a sociedade também tem abraçado a causa e feito a sua parte tornando-se mais consciente” ressaltou o coordenador geral da Operação Coronel Átila Wanderley da Silva.
Para o Superintendente regional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Mato Grosso, Kellen Arthur Preza Nogueira, a integração entre os órgãos de trânsito é muito positiva e traz uma dinâmica diferenciada do dia, uma vez que com a presença da delegacia móvel no local, os trâmites são mais ágeis o que acaba gerando maior celeridade em especial aos procedimentos onde o condutor é flagrado em crime de embriaguez, pois a realização dos procedimentos no local faz com que a fiscalização não seja interrompida para o encaminhamento da ocorrência até uma delegacia.
Segundo o superintendente “O número de pessoas e veículos fiscalizados foram satisfatórios e as autuações e prisões demonstram que ainda falta conscientização por partes de alguns motoristas”
As regras da Lei Seca consideram ato criminal quando o motorista é flagrado dirigindo com índice de álcool no sangue superior ao permitido pelo Código Brasileiro de Trânsito: 0,34 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.
Nesse caso, a pena é de detenção de 6 meses a 3 anos, multa e suspensão do direito de dirigir.
Condutores autuados por esse tipo de infração pagam R$ 1.915,40 de multa, perdem 7 pontos na CNH e tem o direito de dirigir suspenso. O valor é dobrado em caso de reincidência em 12 meses. Se o teste registrar um índice igual ou superior a 0,05 miligramas de álcool por litro de ar, mas abaixo do 0,34 permitidos pelo Código de Trânsito, o condutor é autuado, mas não será detido por crime.
Balanço Final de semana
Além da operação lei seca na capital, em todo o estado a PRF realizou, no trabalho de rotina das equipes, 352 testes de etilômetro, 16(dezesseis) motoristas foram autuados e 14  foram presos por dirigir sob efeito de álcool.
Intensificação no combate ao uso de alcool na direção de veículos.
A PRF este ano intensificou esse tipo de fiscalização com o objetivo de prevenir acidentes, reduzir o número de acidentes, mortos e feridos no trânsito, nas rodovias federais.
No ano de 2014 até o dia 01 de novembro a PRF realizou em todo o estado 36.073  testes de alcoolemia, foram autuados 1063 condutores e 397 presos por dirigir sob influência de álcool.
Em 2013 foram registradas 23.891 testes de alcoolemia, 593 autuações e 304 prisões no mesmo período.

Responder

comment-avatar

*

*