Operação Pró Vita da PF no combate à prática de abortos em série

Operação Pró Vita da PF no combate à prática de abortos em série

Barra do Garças/MT – A Polícia Federal deflagrou hoje, 9/3, a Operação Pró-Vita no combate a comercializaçãode medicamentos ilegais e prática de aborto em série.

Foram cumpridos 66 mandados judiciais, sendo 11 de prisão temporária, 33 de condução coercitiva e 23 debusca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Barra do Garças/MT.  A justiça determinou o seqüestro dos bens dos investigados. Entre as pessoas com prisão decretada há um médico, farmacêuticos e atendentes de farmácias da região de Barra do Garças.

A investigação revelou a existência de uma rede criminosa, dividida em duas ramificações que interagiam nas práticas dos crimes. A primeira, voltadapara a importação e distribuição de medicamentos de origem estrangeira sem o necessário registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária-ANVISA para farmacêuticos e médicos da região.

Os remédios são de circulação proibida no país e utilizados  como abortivos, remédios para tratamento de obesidade e disfunção erétil. A segundaramificação é composta por médicos e pessoas associadas, acusados de realizarem procedimentos abortivos mediante recebimento de vantagens financeiras.

Os médicos utilizavam os medicamentos ilegais, fornecidos por farmacêuticos e importadores de remédios, na estrutura do serviço público de saúde, materiais e equipamentos do Hospital Municipal de Barra do Garças. Além do crime de aborto, eles cobravam pela realização de procedimentos médicos custeados pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

Durante a fase de investigação foi possível identificar uma série de casos de abortos criminosos e a apreensão de 187 comprimidos do remédio Cytotec,  260 comprimidos de Sibutramina, 56 comprimidos de Desobesi-M, 60 comprimidos de Xanax, 40 comprimidos de Rheumazin Forte e 50 comprimidosde Pramil.

A Operação envolveu cerca de 110 policiais federais e 5 servidores da ANVISA, nos estados de Mato Grosso e Goiás.

Os mandados judiciais estão distribuídos entre as cidades de Barra do Garças, Alto da Boa Vista e  Primavera do Leste, no Mato Grosso. No Goiás, há mandados a serem cumpridos em Goiânia, Aragarças, Baliza e Aparecida de Goiânia.

Os presos serão encaminhados para a Cadeia Pública do Município de Barra do Garças/MT e responderão criminalmente por aborto, comercialização demedicamentos sem registro na ANVISA, peculato, corrupção e formação de quadrilha.

Comunicação Social/Delegacia de Polícia Federal em Barra do Garças

Responder

comment-avatar

*

*