Pesca é apontada como alternativa econômica no Vale do Araguaia

Fundado na década de 1960, o município de Luciara, localizado no Vale Araguaia, ainda hoje luta para consolidar sua economia. Carente de investimentos, a cidade, que possui pouco mais de dois mil habitantes, busca na atividade pesqueira uma maneira sustentável de atrair emprego e renda. Para discutir assuntos pertinentes à pesca a Assembleia Legislativa promoverá uma audiência pública na cidade, em 18 de maio.

Autor do requerimento, o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM) explicou que foi procurado por lideranças políticas de Luciara e do município vizinho, Novo Santo Antônio, para a realização da audiência pública com a presença de representantes do Ministério da Pesca e de um especialista em reprodução, para discutir temas como o licenciamento para construção de tanques, a qualificação dos profissionais que vivem da pesca, a facilidade e a acessibilidade para a confecção da carteira de pescador profissional, manejo e a criação do pirarucu em cativeiro.

O pirarucu é o maior peixe de escama de água doce do mundo e exclusivo da Bacia Amazônica. Desde 2008, uma lei estadual instituiu o plano de controle da Bacia do Alto Paraguai, que proíbe a criação de peixes naturais de outras bacias hidrográficas na região, os chamados peixes alóctones.

Na avaliação do democrata a criação em cativeiro deve ser permitida. Ele defende que sem investimentos dessa natureza, dificilmente o Vale do Araguaia conseguirá minimizar os problemas econômicos e sociais que enfrente. Dilmar afirma que o pirarucu é uma espécie bastante apreciada na região, como também nas cidades fronteiriças, podendo se transformar em uma ótima fonte de renda.

O projeto do manejo do pirarucu, segundo o parlamentar, consiste em treinar e capacitar pescadores para criar o pescado de forma sustentável, buscando assegurar a sobrevivência da espécie, a conservação dos lagos e várzeas e a viabilidade econômica da atividade pesqueira.

“Existe um paradoxo no Vale do Araguaia, uma região repleta de belezas naturais, mas onde, infelizmente, existe uma concentração de renda devida a atividade pecuária, que não gera emprego, levando uma parcela considerável da população ao desemprego e miséria, fatores que têm contribuído, com o passar dos tempos para a elevação da camada de excluídos na região”, avaliou Dal’Bosco.

As discussões em Luciara acontecem no dia 18 de maio, às 18 horas, na Câmara de Vereadores local.

Responder

comment-avatar

*

*