PF deflagra operação de combate a falsificação de agrotóxicos

Duas pessoas foram presas na região, uma em Ituverava e outra em Miguelópolis

Foto: Joyce Cury / A Cidade

No total serão cumprido 71 mandados judiciais em diversas cidade de SP e MTNo total serão cumprido 71 mandados judiciais em diversas cidade de SP e MT

A Polícia Federal de Rondonópolis (MT) deflagrou na manhã desta quarta-feira (14) a Operação São Lourenço, de combate à falsificação, comercialização e contrabando de agrotóxicos.

Na região de Ribeirão Preto dois homens foram presos, sendo um em Ituverava e outro em Miguelópolis.

No total, serão cumpridos 21 mandados de prisão temporária, 37 de busca e apreensão e 13 de condução coercitiva em diversas cidades do Mato Grosso e também do interior de São Paulo, entre elas, Fernandópolis, São José do Rio Preto e Monte Aprazível.

As investigações, que começaram em 2010, apontaram para a existência de dois grupos diferentes e interdependentes de criminosos. Um grupo era responsável por contrabandear do Paraguai, via Mato Grosso do Sul, falsificar e vender agrotóxicos. Outro de fazendeiros consumidores do produto de crime.

A comercialização de agrotóxicos é regulada por uma legislação específica. Os vendedores e falsificadores responderão por formação de quadrilha, falsificação, contrabando e crime ambiental. Ao comprarem agrotóxicos sem comprovação de procedência, os fazendeiros também cometem crime ambiental previsto em lei.

Segundo informou a Polícia Federal, as penas para os delitos variam de um a quatro anos de reclusão, além de multa. Como são cumulativas, as penas podem chegar a mais de 15 anos de detenção.

O nome São Lourenço faz referência ao principal rio da região de Rondonópolis, cidade que mais sofreu com a ação criminosa no uso de agrotóxicos.

jornalacidade

Responder

comment-avatar

*

*