‘PM pode ter sido vítima de vingança’, diz delegado sobre morte em MT

Major aposentado levou cinco tiros no momento em que chegava em casa.
Em 2011 major reagiu a um assalto e matou um dos suspeitos.

Claudemir Gasparetto, Major da PM, foi morto a tiros em Várzea Grande. (Foto: Divulgação/PM)

O major aposentado da Polícia Militar, Claudemir Gasparetto, assassinado na noite desta terça-feira (18), pode ter sido vítima de vingança. Essa é uma das hipóteses levantadas pela Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá. Gasparetto foi morto com cinco tiros no momento em que chegava em casa, no Bairro Planalto Ipiranga, em Várzea Grande, região metropolitana da capital. Vizinhos viram três pessoas em um carro, que teriam descido do veículo já disparando contra o militar.

De acordo com o delegado titular da DHPP, Silas Tadeu Caldeira, a forma como o crime ocorreu não mostra que os suspeitos pretendiam cometer um assalto contra o PM aposentado, já que nada foi levado da vítima. Gasparetto estava armado, porém, não reagiu.

“Tudo indica que a motivação seja uma vingança. As pessoas [os suspeitos] atingiram o carro do major por trás e desceram do veículo atirando. Tudo indica que foi uma execução”, disse ao G1Silas Caldeira. O veículo do major foi encontrado em frente à residência, no entanto, do outro lado da rua.

Em fevereiro de 2011, a família de Gasparetto sofreu um assalto na residência onde moravam, no Bairro Cohab Canelas, em Várzea Grande. Na ocasião, o major reagiu e houve um tiroteio entre o militar e os assaltantes. Um dos suspeitos morreu e outro foi baleado e preso posteriormente.

“Estamos levantando as informações desse assalto [de 2011] para verificar se existe relação e algum tipo de ligação com a morte do major, ou uma possível vingança de familiares e comparsas daquele que foi morto pelo policial. Por coincidência, a data da morte do policial ocorreu três anos depois desse assalto”, completou Silas.

Carro que teria sido utilizado no crime foi encontrado abandonado em Várzea Grande. (Foto: Ciopaer/MT)

Segundo a DHPP, os policiais já começaram a levantar informações sobre o local do crime e testemunhas. Um veículo, que teria sido usado no crime desta terça-feira, foi encontrado pela equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), em buscas feitas de helicóptero. O veículo estava abandonado em um matagal no Bairro São Simão, na mesma cidade. O carro, que tem queixa de furto registrada nesta segunda-feira (17), foi encaminhado para perícia.

Ainda durante esta manhã um jovem foi encontrado morto no Bairro da Manga, também em Várzea Grande. A Polícia Civil investiga se o rapaz morto tem alguma relação ou participação com o homicídio de Gasparetto. O suspeito apresentava uma perfuração de bala no olho esquerdo.

Corpo de major está sendo velado em Várzea Grande. (Foto: Reprodução/ TVCA)

A Corregedoria da Polícia Militar de Mato Grosso afirmou que está acompanhando as buscas pelos suspeitos. O corregedor-geral da PM, tenente-coronel Alexander Torres Maia, disse que na época do assalto de 2011, o major nem chegou a responder um processo administrativo, apenas inquérito policial, já que o caso foi considerado como legítima defesa.

Ainda de acordo com a corregedoria, o major não respondeu nenhum processo administrativo durante os anos de serviço prestados à PM. “A corregedoria acredita que houve uma motivação ‘diferente’ pois não foi levada a arma, o veículo ou dinheiro da vitima”, disse o corregedor.

Velório
O corpo do major está sendo velado nesta quarta-feira no Cemitério Parque Recanto da Paz, no Bairro Jardim dos Estados, em Várzea Grande. De acordo com a PM, o enterro está previsto para ocorrer às 17h [horário de Mato Grosso]. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*