Polícia Civil apreende em Tabaporã produto falsificado para combater praga em lavoura

Treze fracos de veneno  com suspeita de falsificação foram apreendidos no município de Tabaporã (643 km a Médio-Norte), nesta semana. A comprovação da adulteração ou falsificação foi feita por um laboratório de análise, que informou que o produto da fabricante Bayer apresentava apenas 30 g/l do princípio ativo que deveria ser de 480 g/l.

De acordo com o delegado Claudemir Ribeiro de Souza, as investigações para apurar os fatos iniciaram na última terça-feira (11.02), após a Delegacia ter sido procurada por produtores da região para registrar boletim de ocorrência contra uma empresa,  que oferecia insumos agrícolas para combater lagarta. “A empresa forneceu laudo dizendo que o produto era bom. Mas um novo laudo foi feito e apresentou que o princípio ativo deveria ter 480 g/l e tinha apenas 30, por isso não fazia efeito nenhum”, explicou o delegado.

O consultor de vendas foi localizado no Distrito de Nova Fronteira, em Tabaporã, e no veículo que utilizava para visitar as lavouras de soja na região. Com ele, os policiais encontraram 4 frascos de 1 litro do veneno Belt, fabricado pela Bayer, do mesmo lote de produtos reclamado pelos produtores.

O consultor também estava na posse de um revólver calibre 38, carregado, com cinco munições intactas. Ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, recolhido fiança e liberado.

Conforme o delegado, os produtos suspeitos de adulteração serão encaminhados  para análise na Pericia Oficial e Identificação Técnica (Politec). “Se provado a adulteração, o consultor de vendas e seus coautores serão indiciados pelo crime de falsificação de produtos agrícolas”, disse Claudemir Ribeiro.

Participaram da operação o investigador Wisno Chelmo Ribeiro de Lima e o delegado Claudemir Ribeiro de Souza.

Responder

comment-avatar

*

*