Polícia Civil prende empresário líder de quadrilha de roubos de cargas no interior

Dez meses de investigações Delegacia da Polícia Judiciária Civil de Sapezal (480 km a Noroeste) resultaram na prisão do principal articulador de vários roubos de cargas e no cumprimento de outros 12 mandados de prisão de preventiva, além da apreensão duas adolescentes,  2 veículos Corolla adulterados, aproximadamente 3 kg de drogas (1kg pasta-base e 2kg de maconha), 1 revólver calibre 38, 1 pistola calibre 380 e documentos falsos, na operação “Caça Fantasma”, realizada no período de 3 a 15 de setembro.
As diligências foram encerradas neste domingo (15.09), com a prisão do principal mentor da quadrilha Robson Merlo Correia, 25, conhecido como “Boneca”, em Guarantã do Norte (715 km ao Norte). O suspeito estava com mandado de prisão em aberto desde julho deste ano.
Segundo as investigações, Robson comandava uma quadrilha com ramificações no estado do Pará, e atuação confirmada nas regiões de Diamantino, Tangará da Serra e Nova Mutum. Em Sapezal, o suspeito se passava por idôneo empresário do ramo de transporte, produtos alimentícios e agropecuários, cujo patrimônio está avaliado em cerca de R$ 10 milhões, capital acumulado com a venda dos produtos roubados pela organização criminosa.
Em um dos roubos cometidos pela quadrilha, ocorrido em 21 de abril deste ano, o motorista foi mantido em cárcere privado nas proximidades do município de Campo Novo dos Parecis (396 km a Noroeste), até que a carga de 45 mil litros óleo diesel fosse descarregada em uma fazenda na região de Sapezal.
Na ocasião, policiais civis localizaram os reboques tanques a 85 quilômetros de Campo Novo do Parecis, próximo a uma fazenda, na entrada do município de Brasnorte (579 a Noroeste). O caminhão trator foi encontrado já em Cuiabá.
No dia 12 de julho deste ano, três integrantes da quadrilha foram presos na operação “Médio-Norte”, deflagrada pela Delegacia de Campo Novo do Parecis (396 km a Noroeste) com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), de Cuiabá, e Regional de Diamantino e Sapezal. Cinco pessoas tiveram mandados de prisão preventiva decretados, entre elas Robson Merlo. Na ocasião, três mandados foram cumpridos.
Robson foi localizado em Novo Progresso, no estado do Pará. Conforme a delegada, Cinthia Gomes da Rocha Cupido, em contato com o delegado do município, Kaio Carmelo Rocha Lobo, foi possível monitorar o foragido naquele estado. “No momento que Robson cruzou a divisa do estado do Pará com Mato Grosso foi preso por uma equipe de investigadores da Delegacia de Sapezal”, disse a delegada.
Além do apoio da Polícia Civil do Pará, a operação contou com uma equipe formada por policiais civis de Sapezal, Brasnorte(579km a Noroeste), Campo Novo dos Parecis (396km a Nororeste) e Tangará da Serra (239km a Médio-Norte) para cumprimento dos mandados de prisão.
Patrimônio
O espantoso crescimento patrimonial de Robson despertou a suspeita da polícia motivando o início das investigações em novembro de 2012. Ele chegou a Sapezal no ano de 2009 para trabalhar em uma fazenda da região pelo salário de aproximadamente 900 reais. Em cerca de dois anos, o criminoso possuía três empresas, sendo uma no setor de transporte, e as outras duas nos ramos alimentícios e agropecuários, atingindo um patrimônio avaliado em 10 milhões de reais. Essas empresas comercializavam produtos e serviços para diversos fazendeiros locais, que acreditavam na idoneidade das notas ficais emitidas por Robson.

Responder

comment-avatar

*

*