Polícia Civil prende mulher acusada de integrar quadrilha que escolhe vítimas na internet

Uma mulher acusada de integrar uma quadrilha que aplicou vários golpes pela internet foi presa por policiais da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública, da Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (02.09), em Cuiabá.

A suspeita, Maria Diana Mendes Balcelar, 33, foi autuada em flagrante, dentro de uma agência bancária, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, quando depositava R$ 24,5 mil, em envelope vazio, para benefício de uma pessoa em Várzea Grande.

A quadrilha, chefiada por um detento da Penitenciaria Central do Estado,  identificado pelo nome de Romer Albergan de Araújo, conhecido também por “Marcos, tem pelos menos cinco integrantes que agem a mando do presidiário em várias regiões de Mato Grosso. “Ele será interrogado no inquérito e indiciado”, afirma o delegado Rogers Elizando Jarbas, que preside as investigações.

De acordo com Rogers  Elizandro Jarbas, a quadrilha escolhe as vítimas em sites na internet de anúncios gratuitos da vendas de produtos e bens usados. Em seguida, um dos integrantes do bando, se passando por comprador, faz contatos por celular com o anunciante. “Grande parte das ligações é oriundas do interior de estabelecimentos prisionais”, destaca o delegado.

Com a negociação firmada, outro membro do bando, após o fechamento da agência bancária, às 16h00, efetuava depósito fraudulento, em envelopes vazios, na conta indicada pelo vendedor. “Acreditando que o dinheiro correspondente à venda já estava em sua conta, a vítima entrega o bem a outro criminoso”, explicou.

Em Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte), a quadrilha causou prejuízo de R$ 63 mil. A vítima fez anúncio na internet da venda de três máquinas de sorvete e perdeu os equipamentos acreditando que o dinheiro já estava na conta.

Durante a prisão de Diana, os policiais encontraram com ela uma agenda com anotações de parte dos golpes aplicados, incluindo a vítima que perdeu R$ 63 mil, em Tangará da Serra, e-mails. A mulher ainda carregava vários envelopes vazios, que seriam usados em depósitos fraudulentos, visando lesar outras vítimas.

A suspeita foi autuada nos crimes de estelionato e formação de quadrilha. Ela está recolhida no Presídio Ana Maria do Couto May. Assessoria/PJC-MT

Responder

comment-avatar

*

*