Polícia Civil recupera carga de defensivos agrícolas avaliada 500 mil dólares

GetAttachment (2)GetAttachment (1)GetAttachmentUma carga de defensivos agrícolas avaliada em US$ 500 mil doláres foi recuperada pela Polícia Judiciária Civil, em investigações conduzidas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Delegacia de Sorriso (420 km ao Norte). Dezenas de caixas com veneno líquido e em pó para combater pragas de lavouras foram encontrados em uma fazenda, no Distrito de Novo Mato Grosso, a 90 km do município de Nova Ubiratã (502 km ao Norte), na manhã de quarta-feira (28.08).
Os agrotóxicos estavam escondidos debaixo de uma lona, no meio da mata, sob a vigilância de dois homens armados com uma espingarda calibre 12 e um rifle 22. O suspeito Adriano Araújo dos Santos, 36, que usava identidade falsa em nome de Celso Santana Silva Filho, foi autuado em flagrante nos crimes de receptação, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e posse de munição de uso restrito e uso de documento falso. Ele é procurado no Estado do Maranhão, por roubo a banco.
O segundo suspeito preso, Fábio Silva de Jesus, 24, vai responder por receptação, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e posse de munição de uso restrito. Com os dois presos, além das armas foram apreendidos capas de colete a prova de bala e 1 rádio amador roubado junto com a carga da fazenda, em Campo Novo do Parecis (396 km a Noroeste).
O delegado  de Sorriso, Walter Melo, responsável pela lavratura do flagrante com apoio do delegado Thiago Damasceno, disse que os dois presos confessaram que os defensivos seriam revendidos e o dinheiro usado para comprar armamento a serem usados em roubos a bancos.  “Os dois foram presos na sede da fazenda e os produtos encontrados a 5 km, no meio do mato. Acreditamos que recuperamos praticamente 100% da carga”, disse Melo.
A apreensão ocorreu durante buscas conduzidas pela equipe do GCCO com apoio de policiais das Delegacias de Polícia de Sorriso e Nova Ubiratã. O trabalho iniciou às 10 horas de terça-feira (27) e se estendeu até a madrugada de quarta-feira, quando os policiais localizaram os defensivos roubados de uma fazenda em Campo Novo do Parecis, na noite do dia 10 de agosto deste ano. As diligências continuam em busca dos demais assaltantes.
No assalto, os bandidos levaram 27 tipos de defensivos agrícolas do depósito da fazenda, somando cerca de 8 mil litros e 300 quilos de agrotóxicos, líquido e em pó.
As investigações do roubo são conduzidas pela delegada do GCCO, Cleibe Aparecida de Paula, que substituiu o delegado Gianmarco Paccola, que deixou a unidade e está agora na Delegacia Fazendária. A delegada informou que a carga possivelmente seria levada para o estado do Maranhão e que os policiais trabalham para prender os demais integrantes da quadrilha.
 Segundo o boletim de ocorrência, a propriedade foi invadida por vários homens armados que após anunciar o roubo trancaram parte dos funcionários em cômodos da residência e obrigaram outros a carregar os defensivos agrícolas em uma carreta Bitrem, também tomada de assalto, na própria fazenda. Segundo relato dos funcionários, depois de colocar os produtos no veículo, também foram trancados junto aos demais, permanecendo todos vigiados até a madrugada. Um dos bandidos disse aos funcionários que se saíssem antes da 7 horas da manhã seriam alvejados por tiros.

A carreta Bitrem, placa de Campo de Mourão (PR), foi recuperada em Sorriso no dia 16 de
agosto. O veículo foi abandonado em uma lanchonete, próximo a Lucas do Rio Verde.
O delegado titular do GCCO, Flavio Henrique Stringueta, orienta os produtores a não manterem estoque de defensivos nas propriedades, que levem para as lavouras pequenas quantidades. “Esse é um produto muito visado pelas quadrilhas devido ao alto valor comercial”, afirma.
Os produtos foram restituídos ao proprietário da fazenda na manhã desta quinta-feira (29). O dono também acredita que toda a carga foi recuperada, já que encheu uma carreta do mesmo porte da usada para levar os defensivos.

Responder

comment-avatar

*

*