Policiais federais cogitam protestos durante a Copa do Mundo em Cuiabá

A Polícia Federal em Mato Grosso ameaça cruzar os braços durante a Copa do Mundo em 2014 ou mesmo durante o período eleitoral para chamar à atenção do Governo Federal para possibilitar a reestruturação da categoria, assim como aumentar o efetivo e garantir melhorias logísticas e estruturais para execução dos trabalhos no Estado. A afirmativa é do presidente do Sindicato dos Policiais Federais em MT, Erlon Brandão. Na data de hoje (04.12) os cerca de 300 policiais federais que atuam em Mato Grosso estão com os braços cruzados.

Para protestar, os policiais encontram-se reunidos em frente à Superintendência do órgão e em instantes seguem para uma panfletagem em frente ao aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. Lá, eles se encontraram com um único policial federal responsável por atuar no trabalho de fiscalização no interior do aeroporto.

Em 2013 essa é a terceira mobilização com duração de 24 horas realizadas pela categoria. “Nesse final de semana, a Federação Nacional estará reunida e irá deliberar quanto aos rumos para o próximo ano. Nós pedimos melhorias para o serviço no país. Em Mato Grosso deveríamos ter 800 policias. Esse concurso anunciado, com 190 homens, não vai suprir nem mesmo o número de aposentadorias. Há 20 anos temos as mesmas reivindicações. As negociações não avançam”, reclama.

Para ilustrar a situação decadente da PF, Erlon cita que Mato Grosso atua com apenas 67 policiais federais junto à Superintendência, em Cuiabá. ‘No entanto, por causa de problemas na rede elétrica, já relatados ao Ministério da Justiça esse efetivo têm de trabalhar em turnos distintos já que o risco de incêndio é grande e deve-se evitar a sobrecarga na rede elétrica. O prédio é antigo e cerca de R$ 500 mil são necessários para todo o reparo na fiação”, conta. Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*