População teme paralisação de obra de pavimentação da BR-158

Prefeitos, líderes políticos e empresariais do Norte-Araguaia promoverão no sábado (17), às 9 horas, no povoado de Alô Brasil, uma manifestação contra a possível paralisação das obras de pavimentação da BR-158. O protesto é baseado no parecer técnico do Grupo Executivo do Programa de Aceleração do Crescimento (GEPAC), que condiciona a continuidade das obras à manutenção do traçado original, que corta a Terra Indígena Marawatsede.

Segundo o prefeito de Querência e presidente da Associação dos Municípios do Norte Araguaia (AMNA), Fernando Gorgen, a mobilização tem como objetivo traçar uma estratégia de atuação para evitar a interrupção das obras. Ele afirmou que prefeitos, empresários e produtores rurais estão sendo mobilizados para participar do ato e das diretrizes que serão discutidas para as ações que serão empreendidas daqui para a frente.

De acordo com o parecer técnico do GEPAC, o traçado original da rodovia deve ser mantido, passando dentro do território indígena. O Grupo Executivo do Programa de Aceleração do Crescimento entende que o projeto terá que ser mantido, desfazendo o trajeto que prevê a passagem da rodovia pelos municípios de Bom Jesus do Araguaia, Alto Boa Vista e Nova Serra Dourada, contornando a reserva Maraiwatsede. O novo traçado aumenta em 60 quilômetros o percurso da rodovia.

(Colaboração Agência da Notícia/Confresa)

FRANCIS AMORIM
Da reportagem/Barra do Garças diariodecuiaba  imagems reporterbrasil

Responder

comment-avatar

*

*