Por pouco não houve tragédia no Despraiado; Secopa garante abrigo para famílias do morro

O desmoronamento parcial do morro na encosta com o viaduto do Despraiado – obra da Copa do Mundo 2014 – era uma tragédia anunciada. O Olhar Copa chegou a alertar, no dia 25 de setembro para o risco do desabamento após uma vistoria do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) que detectou o perigo. Moradores foram avisados do perigo, mesmo assim, providências enérgicas não foram tomadas por parte dos responsáveis pela obra, no sentido de retirá-los da área. Na madrugada desta terça-feira (12), uma parte do morro veio abaixo, mas por sorte, nenhuma residência despencou. Se a força das águas fosse maior, poderia ter ocorrido uma tragédia histórica em Mato Grosso.

Após o susto, técnicos da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), Corpo de Bombeiros e Defesa Civil se dirigiram ao local. As nove famílias já foram removidas e até o início da tarde, deverão ser alojadas provisoriamente em outro local, até que providências sejam tomadas. É possível que a remoção seja definitiva, mas há a possibilidade da construção de um gabião – espécie de muro com telas e pedras – para reforçar a encosta. Nesse caso, as famílias poderiam voltar a morar em suas casas, com uma restrição de espaço.

Através de sua assessoria de imprensa, a Secopa informou que ficará responsável pelo abrigo dos moradores que foram desapropriados. Até o fim da manhã desta terça-feira, não havia sido definido se seria através de aluguel ou albergue. Após a resolução do problema, o destino dessas famílias, com crianças e pessoas idosas será definido. Foi cogitada a possibilidade de o Governo do Estado oferecer moradias específicas para este grupo. “As famílias estão assistidas e tendo o acompanhamento de perto. Ninguém ficará desamparado. O mais importante agora é tirá-las dessa área de risco para que não ocorra nenhum acidente”, informou a assessoria.

O incidente ocorre em um momento propício. Localizado na avenida Miguel Sutil entre o Parque Mãe Bonifácia e a rodoviária de Cuiabá, o viaduto do Despraiado já deveria ter sido entregue há meses. O primeiro cronograma apontava sua conclusão para o mês de maio deste ano. A inauguração chegou a ser anunciada por pelo menos três vezes e adiada. Afirmando que dependia apenas de ‘retoques pontuais’, o governador Silval Barbosa confirmou a entrega da obra para este mês. Tudo indica que, se não tivesse ocorrido esse desabamento, a intervenção, sob responsabilidade do consórcio Atracon com um custo de R$ 18,9 milhões, seria entregue como se encontra e o risco de uma tragédia poderia perdurar.

A assessoria da Secopa informou ainda que o incidente não deve culminar com o atraso na entrega do viaduto: “A obra está praticamente pronta e deve mesmo ser entregue este mês. A questão do desmoronamento parcial será resolvida imediatamente”.

Na manhã desta segunda-feira, uma via marginal do viaduto – sentido Parque Mãe Bonifácia-Rodoviária – chegou a ser liberada para o trânsito. Foi justamente o trecho que acabou sendo afetado com a queda de parte do morro. Dessa forma, a marginal voltou a ser fechada, sem previsão de liberação.

Responder

comment-avatar

*

*