POXOREU – Politec termina trabalho na localização de cadáver e corpo pode ter sido esquartejado

Assim que a Politec terminou de retirar os restos mortais da vala e confirmou que havia somente um corpo enterrado na região de garimpo, no município de Poxoréu, a mulher de Simoney disse com toda certeza que as roupas são de seu marido, “no dia em que ele foi preso, vestia um sapato e roupas parecidas com as que foram encontradas”, afirmou.

Pelo fato de Mazinho e Simoney terem fugido juntos do Batalhão da Polícia Militar de Poxoréu, no dia 21 de abril deste ano e serem bastante amigos, ambas as famílias acreditam que o corpo de Mazinho pode estar enterrado próximo ao local onde os supostos restos mortais de Simoney foram encontrados.

http://www.noticiasdematogrosso.com.br/wp-content/uploads/2015/05/20150526_162004-300x168.jpgFátima Almeida Bonfim, 45, a mãe de Mazinho, explicou para a imprensa que “desde o dia que o meu filho sumiu eu o procuro em diversas regiões de Mato Grosso. Andei por cada buraco para encontrá-lo”. O fato de Fátima Almeida ter achado exatamente o local onde o corpo estava, foi explicado por ela que: “depois de mais de um mês de buscas, eu segui meu extinto de mãe e encontrei os ossos”. Os restos estavam há 50 quilômetros de Poxoréu, ao lado de uma plantação de melancias.

Pelo que a Polícia pode perceber, o local não costuma ser bastante visitado, já que a estrada de acesso está praticamente abandonada. Trata-se de um lugar escondido e de difícil acesso. A polícia e a imprensa tiveram grandes dificuldades para chegar.

A mãe de Mazinho ainda disse que antes da prisão, o filho trabalhava a oito dias em uma fazenda, “ele me prometeu sair do mundo do crime e disse que não iria mais me dar desgostos”, disse Fátima Bonfim, depois de afirmar que seu filho, no passado, já se envolveu com diversas ações criminosas.

Fátima Bonfim ainda garantiu que após Mazinho fugir da cadeia, nunca mais ela o viu. “Eu já pressentia que ele estivesse morto, porque toda vez que estava foragido, sempre me ligava para dizer se estava tudo bem” – relatou.

A mãe de Simoney Souza, Luzimare Almeida Santos também deu uma declaração à imprensa: “depois da fuga, eu esperava que meu filho chegasse vivo”.

Além da esposa do fugitivo, Luzimare também disse acreditar que pelas características das roupas, é de Simoney os restos enterrados, “conheci pela camiseta e cueca”, disse. Ela ainda relatou não ter ideia de quem possa ter feito isso com seu filho e que o viu pela última vez no dia 20, um dia antes de sua prisão.

Um dos delegados responsáveis pela Delegacia de Roubos e Furtos de Primavera do Leste, Dr. Rafael Fossari, acompanhou o caso, junto com o Dr. Fábio dos Santos, que atua em Primavera do Leste e Poxoréu.

Em entrevista à imprensa, Dr. Fábio dos Santos disse que: “assim que ficamos sabendo da suspeita de corpos enterrados no município de Poxoréu, nos dirigimos pra cá. Após uma procura de três horas, achamos os restos humanos. Ainda não dá para afirmar quem seja esta pessoa, somente com o resultado do DNA.

O corpo estava em pedaços. Um braço foi localizado fora do buraco onde a maior parte do cadáver foi enterrado. Dr. Fábio não garantiu que a vítima tenha sido esquartejada. “Animais podem ter se alimentado dos restos. Somente a perícia, após os exames, poderá garantir se realmente houve o esquartejamento”, explicou o delegado.

Já o Delegado Rafael Fossari afirmou que a hipótese de a vítima não ser nenhum dos suspeitos existe. “Caso esta pessoa encontrada não seja nem Mazinho e nem Simoney, as investigações para tentar descobrir de quem é o corpo será a mesma”. O Civil também disse que ainda não há nenhuma prova de quando, como e porque este crime aconteceu.

Após a conclusão da perícia no local do fato, a perita Ludileia Bonfante concedeu entrevista à imprensa. Segundo ela, “o estágio do corpo é de decomposição avançada. Pode ser que tenha um mês ou mais que está enterrado. Não é possível dizer com precisão, sem antes mais avaliações específicas”, explicou Bonfante.

Sobre a suspeita de esquartejamente, a períta afirmou que: “também ainda não é possível afirmar um esquartejamento, porém o corpo está bastante danificado”.

Todo o trabalho da Politec e polícia foi encerrado às 17h30.

Agora somente o exame de DNA poderá dizer de quem é o corpo localizado. Foto Vilmar Kaizer/via Paranatinga News

Responder

comment-avatar

*

*