Premiações e Homenagens marcam noite de entrega do 1º Prêmio Produzindo Certo

 

O 1º Prêmio Produzindo Certo foi entregue durante o II Simpósio Alianças Socioambientais. Através do Cadastro de Compromisso Socioambiental (CCS) a Aliança da Terra, em parceria com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), avaliou e identificou produtores rurais comprometidos com a responsabilidade socioambiental de suas propriedades e integrados no processo de melhoria contínua.

O Diagnóstico Socioambiental é uma ferramenta do CCS utilizada pelos produtores na gestão de práticas sociais e ambientais de suas propriedades e seus dados foram a principal fonte de informação para a tomada de decisão dos jurados.
 
Nesta primeira edição participaram da seleção todos os produtores que assinaram o Compromisso de Adequação Socioambiental (CAS) de sua propriedade até o dia 21 de maio de 2010. A premiação compreendeu quatro etapas de avaliação, sendo que a etapa final incluiu um comitê formado por pesquisadores e representantes de organizações como o Ipam, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Pantanal e a Associação do Plantio Direto no Cerrado (APDC) que votaram e decidiram os vencedores.
               
Na etapa semifinal foram classificadas 20 propriedades rurais e dentre estas, cinco foram selecionadas para a final. As premiações aos três primeiros colocados: um quadriciclo, moto e calcário foram para José Antonio Ávila Gimenes, da Fazenda Caranda, em Canarana MT; José Marcolini Jr., da Fazenda Macaré; e Jorge Arsênio da Fazenda Casa Grande 2 ambos localizados em Querência-MT. As colocações do quarto e quinto lugar foram para Guido Albino Junges, da propriedade Lote 09 e 11, também localizada em Querência; e Celsio e Daniel Schenckel da Fazenda Santa Rosa V, de Campo Verde.
               
Entre os jurados estava o pesquisador da Embrapa Pantanal, André Steffens que afirmou que o 1º Prêmio Produzindo Certo “é um reconhecimento aos produtores rurais que se esforçam para adequar suas propriedades a um novo modelo de produção, que leva em conta não apenas bons resultados econômico-financeiros, mas também a responsabilidade social e o compromisso com o desenvolvimento sustentável da atividade. O Prêmio sinaliza e incentiva que se continue evoluindo em direção a uma gestão socioambiental plena das propriedades rurais”.
               
Segundo Oswaldo Carvalho Junior, pesquisador do Ipam, “Para uma pessoa que teve o prazer de participar desde o início desse processo, inclusive participando do primeiro diagnóstico realizado em campo, foi uma grande satisfação atuar como jurado do 1º Prêmio Socioambiental e constatar que muitas das ações socioambientais estão sendo implantadas numa porção significativa das propriedades envolvidas no CCS. Tudo isso reforça nossa mensagem de que é possível produzir e conservar.”
 
“O prêmio é um estímulo para continuar a trabalhar com desenvolvimento socioambiental. É também um selo de qualidade que insere a fazenda em outro patamar para buscar mercado”. José Antonio de Ávila Gimenes, da Fazenda Caranda, de Canarana, vencedor do primeiro lugar.
 
 “Estar como finalista e ganhar o prêmio, orientado por técnicos do Ipam e Aliança da Terra para fazer regularização ambiental não é para proprietário infrator”.  José Marcolini Júnior, da Fazenda Macaré, de Querência, vencedor do segundo lugar.
 
 
Fonte:www.aliancadaterra.org.br

Responder

comment-avatar

*

*