Presidente desempata e TRE rejeita as contas do prefeito de Querência

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), com voto de minerva do presidente Juvenal Pereira da Silva, reprovou as contas do prefeito de Querência (a 912 km de Cuiabá), Gilmar Wentz (PMDB). As irregularidades apontadas no julgamento são referentes à distribuição de jornais e à publicidade por meio de aeronaves.

  Conforme levantamento da Revista Época – publicado no mês de fevereiro – Wentz ocupa, proporcionalmente, o quinto lugar entre os prefeitos que mais gastaram, por voto, de todo o país. Em Mato Grosso, está na primeira colocação. O peemedebista investiu R$ 205 por eleitor, num universo de 3.815 votos, equivalentes a 50,31% do total.

  Na sessão anterior, em 27 de junho, a votação empatou em 3 a 3. O voto de minerva do desembargador Juvenal, que ensejou na reprovação das contas, foi proferido na última terça (2), após análise minuciosa do processo. O relator, juiz-membro Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, também se posicionou pela reprovação das contas.

  Acompanharam o posicionamento os juízes membros Marcos Henrique Machado e Jones Gattass Dias. Foram contra a reprovação José Luís Blaszak, André Luiz de Andrade Pozetti e Pedro Francisco da Silva. Em primeira instância, o prefeito teve as contas aprovadas. O Ministério Público e o candidato adversário, João Pizzi (PSD), recorreram da decisão.

  Contas

  Gilmar Wentz gastou na campanha R$ 783,5 mil, conforme seu balancete. O segundo colocado foi João Carlos Pizzi (PSD) com 3.753 votos, que representa 49,69%. A diferença foi de apenas 62 votos. Além do peemedebista, também integra a lista da Época outro prefeito mato-grossense. Em 9º lugar está Otaviano Pivetta (PDT), de Lucas do Rio Verde, que gastou R$ 184,6 por eleitor. Na prestação de contas de campanha, o pedetista declarou ter gasto R$ 2,5 milhões.

rdnews.

Responder

comment-avatar

*

*