Presidente do TRE/MT admite fala em sessão, mas nega ter ofendido advogado

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT), em entrevista ma manhã desta segunda-feira (19), admitiu ao Olhar Jurídico que a gravação em que aparece dizendo “fala pro Breno já ir colocando os ofícios, encaminhando, convocando, porque esse pessoal virou o sarna com esse ‘advogadozinho bicha’ aí”, é dele, mas garantiu que não se referia ao advogado Wellington Cardoso Ribeiro, que atua na cidade de Brasnorte (627 km de Cuiabá).

O desembargador explicou que fez um comentário, em “tom de brincadeira”, sobre alguns amigos que se comunicam em um grupo pelo serviço de mensagens instantâneas “WhatsApp”. “O comentário não foi sobre o advogado em questão. Foi um comentário sobre um advogado que é amigo e que possui um grupo no WhatsApp. Eu estava de olho no celular, pois esperava uma mensagem de sobre uma operação da minha mãe e toda hora era incomodado com o alerta de mensagem”, explicou.

Silva sustentou ainda que quem o conhece sabe que “trata a todos muito bem, com simplicidade e humildade”. O magistrado esclareceu ainda que o caso não envolve nenhuma questão eleitoral, uma vez que não era o relator do processo pelo qual Ribeiro atuava na defesa durante a sessão realizada no último dia 11 de julho.

Conforme o Olhar Jurídico já revelou, o advogado Wellington Cardoso Ribeiro pretende mover uma ação por danos morais contra o desembargador Juvenal Pereira da Silva, por entender que o magistrado o ofendeu publicamente durante sessão naquela Corte.

O sistema de gravação do plenário captou o presidente proferindo as seguintes palavras. “Fala pro Breno já ir colocando os ofícios, encaminhando, convocando, porque esse pessoal virou o sarna com esse ‘advogadozinho bicha’ aí”.

Ribeiro informou que lamenta o ocorrido e que, desde então, se tornou motivo de piada, chacota e que foi ridicularizado de maneira irreparável. “Eu achei que era um servidor que estava falando, o que já seria trágico, mas depois que percebi que era o presidente da casa eu fiquei mais espantado. É vergonhoso o presidente de uma corte se comportar dessa maneira. Eu estava trabalhando, atuando e fui humilhado publicamente. Exijo uma retratação pública e vou mover uma ação contra o presidente sim”, afirmou. Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*