Presos deixaram prisão para curtir natal, alguns não voltaram

Dos 157 presos de Mato Grosso que receberam autorização para passar as festas de final de ano com a família, três não retornaram às unidades onde cumprem pena em regime semiaberto. Eles estavam lotados em cadeias públicas do interior do estado e deveriam retornar até o dia 2 deste mês, o que não ocorreu, de acordo com a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

Como o regime semiaberto permite até três dias de falta, os reeducandos ainda poderão voltar até o próximo dia 6. Caso contrário, serão considerados foragidos da Justiça. Ainda não voltaram para a prisão dois detentos de Paranatinga e um de Lucas do Rio Verde, distante 411 e 360 quilômetros de Cuiabá, respectivamente.

Ao todo, cinco reeducandos ainda não retornaram, conforme levantamento da Sejudh. No entanto, dois deles, de Nova Xavantina e Santo Antônio de Leverger, tiveram o benefício estendido até o dia 6 pelo Poder Judiciário, responsável por permitir ou não a saída temporária dos detentos durante o período natalino.

A maioria das unidades prisionais não teve nenhum preso que se enquadrasse nos critérios exigidos para ter direito à saída. Entre elas, os da Penitenciária Central do Estado, antigo Pascoal Ramos, na capital, maior presídio do estado; Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá, além do presídio Osvaldo Florentino Leite Ferreira, o “Ferrugem”, em Sinop.

Já o anexo da Penitenciária de Água Boa teve maior parte dos beneficiados. Um total de 19 reeducandos saíram da unidade durante o Natal e o réveillon e todos retornaram, enquanto nas cadeias de Alto Paraguai e Diamantino foram 16 em cada uma delas. Em Nova Xavantina deixaram a prisão temporariamente 20 presidiários, sendo que um deles ainda não voltou.

Das unidades de Cuiabá, cinco ficaram fora da Polícia Interestadual de Mato Grosso (Polinter) por mais de uma semana, bem como três do Centro de Ressocialização de Cuiabá, antigo presídio do Carumbé, e uma reeducanda da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May. Todos retornaram à prisão.

Critérios
Para ter direito à saída temporária, os presos precisam ter bom comportamento, além de desenvolver algum trabalho na prisão e executar algum serviço sem acompanhamento direto dos funcionários.

NotíciasNX

Responder

comment-avatar

*

*