Produtores da Suiá Missu tem 3 dias para deixar a região voluntariamente

A tensão, o medo e o desespero começaram a tomar conta da região do Posto da Mata e de toda a região que faz parte da área da Suiá Missu. Há dois dias do prazo final para a desocupação voluntária, os produtores esperançosos aguardam uma resposta que só pode vir de Brasília.

O Advogado da Associação emitiu uma carta endereçada ao Presidente da APROSUM – Associação dos Produtores da Suiá Missu, dizendo que todas as medidas judiciais para tentar impedir a desintrusão foram feitas, porém até agora sem resposta. No entanto o advogado da APROSUM Luiz Alfredo Feresin de Abreu alertou os produtores sobre a importância de cumprir a determinação judicial. “Com relação à consulta formulada por inúmeros ocupantes da área em conflito tenho a dizer que ordem judicial, boa ou ruim, deve ser cumprida. Vivemos um período democrático aonde a independência dos poderes é respeitada. A desobediência civil trás consequências de ordem penal aos infratores e risco de lesão corporal e morte”, diz trecho da carta.

A carta é uma tentativa do advogado de evitar que os produtores e moradores da região entrem num conflito, que alias é esperado para acontecer a qualquer momento.

De acordo com a Associação os moradores estão entrando em um clima de desespero. “Não sabemos como agir, não sabemos o que fazer, é uma situação de desespero, de tristeza. Não sabemos o que pode acontecer a partir de amanhã, mas o clima é de muita tensão”, disse uma funcionária da Associação.

A imprensa mato-grossense está com as pautas voltadas para a região, de acordo com informações extra-oficias diversos caminhões da Força Nacional e maquinas que seriam utilizadas para derrubas casas e barracões estariam chegando ao local da desintrusão que começa na próxima quinta-feira, dia 07 e se encerra dia 17, último dia em que foram entregues as notificações.

A classe politica estadual está mobilizada na tentativa de impedir que um derramamento de sangue aconteça, e para muitos só existe uma pessoa capaz de mudar o destino das famílias da Suiá Missu e essa pessoa seria a Presidenta Dilma Rouseff.

O Agência da Notícia vai enviar para a região uma equipe que fará a cobertura in loco da desintursão da Suiá Missu.

Também está sendo levantada a hipótese de que a qualquer momento a BR-158 seja fechada em forma de protesto.

A carta escrita pelo advogado da Associação é encerrada no sentido de alerta. “Agora cada um tem o seu livre arbítrio para tomar a decisão que melhor lhe convier, por sua conta e risco. Ninguém vai assumir responsabilidade pela atitude de cada um dos ocupantes da área em litigio em caso de resistência. Espero que cada um reflita bastante e tome a atitude correta e melhor para si e sua família. E vale lembrar que ainda temos esperanças na revogação judicial ou administrativa da desintrusão”, finaliza o advogado pedindo que a carta seja distribuída aos moradores envolvidos no conflito.

agenciadanoticia.

Responder

comment-avatar

*

*