Produtores de MT irão solicitar ao governo reforço no estoque de milho. Setor pede a compra de 2 milhões de toneladas do grão. Pedido ao governo será enviado em agosto.

Os produtores de Mato Grosso irão solicitar ao governo federal leilões que reforcem o estoque regulador de milho no estado para 2 milhões de toneladas. A medida será solicitada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em agosto.

Pelo menos, é o que afirma o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Mapa), Rui Prado. Segundo ele, os produtores temem que falte milho para abastecer a suinocultura e avicultura mato-grossense. Com a evolução no preço do cereal, tendo os estoques baixos, não há como equilibrar o mercado.

De acordo com o gerente de operações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab-MT), Chárles Córdova, no estoque regulador do governo ainda existe 600 mil toneladas. Na última quinta-feira (16) foi realizado o Contrato de Opção, mas não houve nenhuma venda. A modalidade de venda dá ao produtor rural a alternativa de vender seu produto para o governo, em uma data futura, a um preço previamente fixado.

” A recuperação dos preços do milho, na última semana, motivou o adiamento das vendas”, disse o representante da Conab. Conforme ele, o governo utiliza o contrato de opção para garantir o preço mínimo ao produtor.

Os dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostram que o preço do cereal de R$ 17,20 a saca de 60 quilos para R$ 18,40/sc em Nova Mutum, a 269 quilômetros de Cuiabá. O preço do milho também subiu em Rondonópolis, de R$ 19/sc para R$ 19,90/sc.

g1mt

Responder

comment-avatar

*

*