Produtores rurais, comunidade e polícia de Canarana se unem contra bandidagem

CANARANA – Nos últimos anos os criminosos têm migrado para furtos e roubos no campo, onde se concentra nossa principal riqueza. Defensivos agrícolas, maquinários, cabeças de gado e outros produtos tem sido levado das fazendas, gerando milhões de reais em prejuízos.

Em levantamento feito pelo J. O Pioneiro no ano de 2015, somente naquele ano cinco milhões de reais em defensivos haviam sido furtados em revendas e fazendas de Canarana de acordo com o que foi registrado na polícia. Mas há casos que não são registrados. De lá para cá, essa conta subiu substancialmente e não se sabe o montante.

Nas últimas semanas os furtos têm se intensificado. O cúmulo aconteceu no início deste ano, quando fazendeiros começaram a avistar drones sobrevoando suas fazendas. Já se sabia que pertenciam à bandidos que usam essa tecnologia para espionar as sedes.

E no último sábado, 20, bandidos armados invadiram uma fazenda na região do Garapú, trocaram tiros com um funcionário e fugiram sem levar nada. Mas deixaram um rasto de medo e insegurança que fez todo o setor produtivo se mobilizar.

Na noite da última segunda-feira, 22, no Sindicato Rural, se reuniram dezenas de produtos, vereadores e representantes das polícias Militar e Civil de Canarana. Foram discutidas medidas para combater esse ramo criminoso que causa milhões em prejuízos todos os anos e está caminhando para um rumo onde se teme o pior.

As polícias explicaram seus recursos e ficou claro que, apesar da competência das nossas polícias, é necessário investir. Para isso foi decidido se trabalhar em duas frentes. Uma delas será levantar números e unir a sociedade e a classe política para cobrar investimentos do Governo do Estado. A outra será mobilizar a comunidade para investir recursos próprios na polícia.

A certeza é que a coisa vai começar a ficar feia para os bandidos. As ações irão desde a contratação de policiais de folga, aquisição de veículos, aquisição de equipamentos de tecnologia, formação de uma rede de comunicação, investimentos em vídeo monitoramento e outras ações que não serão aqui reveladas.

Os bandidos terão que largar o crime, terão que que ir embora de Canarana, ou então serão presos.

 

jopioneiro

Responder

comment-avatar

*

*