Projeto sobre sexualidade trabalhou com crianças influenciadas pela pornografia

Alunos da EMEB Pioneiros participaram de projeto sobre sexualidade depois que foram identificadas práticas promíscuas entre crianças de 10 anos.

CANARANA – Há 40 anos a maioria da população brasileira vivia no interior, muitos no meio do mato. Poucos tinham televisão. Internet nem existia. Hoje a maioria da população mora na cidade, tem televisão e acesso à internet. Imagens de mulheres e homens seminus e totalmente nus estão ao alcance de todos, voluntaria e involuntariamente. Nem as crianças escapam.

A professor Mariza Oliveira de Almeida, que trabalha na EMEB Pioneiros de Canarana, identificou comportamentos promíscuos em alunos menores de 10 anos. “Com 9 anos eles não querem mais ser crianças, mas adolescentes”, disse. Mariza contou que meninos dessa idade estavam se masturbando dentro da sala de aula, assistiam a filmes pornográficos no celular e falavam sobre sexo.

Mariza procurou apoio junto ao programa ‘A União Faz A Vida’ e, sob orientação de Jussara e Janete, respectivamente coordenadoras geral e local do programa, desenvolveu um projeto chamado de “Adolescência e a Sexualidade”, para ensinar as crianças que existem fases diferentes na vida. Os trabalhos foram iniciados no mês de abril e concluídos na semana passada.

Muitos pais nem imaginam que os filhos têm aceso a material pornográfico ou que tem esse tipo de atitude. O projeto começou trabalhando com os pais dos alunos. Ao todo foram três palestras, quando os pais conheceram a realidade em que as crianças se encontravam. Também conheceram o que o projeto iria trabalhar. Conforme a professora, a presença dos pais foi pequena, mas ao final, todos autorizaram seus filhos a participarem.

O projeto teve sequência com uma dinâmica onde foram usadas bonecas. Foram formados casais com menino e menina que deveriam cuidar dessa boneca como se fosse um bebê. Eles tinham que ir ao banheiro, comer o lanche, fazer as tarefas ao mesmo tempo em que cuidavam da boneca. “Essa dinâmica foi para ensinar o conceito de família e demonstrar que fazer sexo gera filho e que filho dá trabalho, e que fazer filho antes do tempo vai atrapalhar seus estudos”, disse Mariza.

As crianças também participaram de duas palestras, onde foi falado sobre puberdade, gravidez, doenças sexualmente transmissíveis e relação sexual. Após essas atividades, os alunos produziram textos sobre o que aprenderam, que foram colados na sala de aula e que seriam expostos na Conferencia Municipal da Saúde, programada para acontecer nesta semana em Canarana.

Foram apenas dois meses de projeto e a professora já viu resultados. “Os gestos e palavras obscenas diminuíram bastante. A disciplina melhorou. Os pais também estão mais participativos na orientação sexual de seus filhos e até se tornaram parceiros da escola”, contou a professora Mariza Oliveira de Almeida.

Participaram do projeto duas turmas, o 5º Ano B (totalmente) e o 5º Ano A (parcialmente), somando cerca de 60 alunos da EMEB Pioneiros. Além de Mariza, participou a professora Claci, a psicóloga Cinara, a dentista Carla e as enfermeiras Stefânia e Nájela. O projeto também seria apresentado na Conferência Municipal da Saúde com objetivo de ser implementado em outras escolas.

O J. O Pioneiro conversou com três alunos que participaram do projeto. Uma menina, de 11 anos, disse que os meninos mudaram. “Pararam de passar a mão na bunda das meninas e as meninas também estão menos assanhadas”, falou. Um menino de 10 anos contou que agora só quer namorar com 15 anos e casar com 30, para terminar primeiro os estudos. “Quero primeiro estudar para depois ter filhos”, disse. Já um aluno de 12 anos contou que as atitudes erradas começaram com alguém fazendo e os outros copiando. “Já melhorou bastante, mas precisa melhorar mais”, opinou, pedindo a continuidade do projeto.

PROGRAMA

O Programa A União Faz a Vida foi implantado no ano de 2013 e envolve a rede pública e particular de ensino com o objetivo de formar cidadãos mais conscientes e cooperativos através de uma metodologia de projetos adotada em sala de aula. Em 2014 foram realizados 43 projetos nas 13 escolas da rede pública de ensino, mais de 200 profissionais capacitados e cerca de dois mil alunos. Tem o apoio das empresas Prisma, Safra’s, HZ Informática, Jornal O Pioneiro e Rádio Vida Nova. (DR).  JOPioneiro

Professor Mariza Oliveira de Almeida

A professora perguntou quem queria dar entrevista ao J. O Pioneiro

Trabalhos produzidos pelos alunos durante o projeto

Responder

comment-avatar

*

*