Quadrilha alugou casa em Querência um mês antes de assaltar agência

Uma quadrilha que assaltou a agência de uma cooperativa de crédito em Querência, a 912 quilômetros de Cuiabá, estava há pelo menos um mês morando na cidade para planejar o crime, ocorrido na segunda-feira (29). O delegado da Polícia Civil Marcelo Jardim, que investiga o caso, afirmou que os assaltantes alugaram uma casa e, durante o período em que ficaram no local, monitoraram a rotina dos funcionários e da gerente da agência, que foi feita refém por mais de 13 horas com a família.

Na residência onde ficaram antes do assalto, a polícia encontrou alguns vestígios capazes de identificar os suspeitos. “Conseguimos alguns elementos para identificar pelo menos alguns deles”, disse o delegado ao G1. Segundo ele, a ação criminosa contou com a participação de seis a oito pessoas. No entanto, apenas dois foram até a agência pegar o dinheiro do cofre e dos caixas eletrônicos, levando a gerente refém.

Enquanto isso, o marido dela e os dois filhos, que são crianças, foram levados por outros dois integrantes da quadrilha para um local afastado do perímetro urbano. “Eles [assaltantes] pressionavam a gerente dizendo que a vida da família dela estava nas mãos dela”, contou o delegado. Ele explicou que para justificar a entrada do assaltante na agência a gerente disse aos funcionários que ele iria mexer no servidor do banco. “Quando estava dentro da agência, o suspeito anunciou o assalto e mandou que os funcionários ficassem quietos porque a família da gerente era mantida refém”, pontuou.

A gerente abriu o cofre e os caixas eletrônicos e, depois de pegar o dinheiro, os suspeitos tentaram levar os servidores onde ficam armazenadas as imagens capturadas pelo circuito interno de segurança, mas o alarme disparou. Desse modo, eles fugiram em um dos três veículos levados das vítimas. De acordo com o delegado, os assaltantes usaram na ação os carros da gerente, do marido dela e de um funcionário, mas abandonaram dois deles ainda na cidade e outro na zona rural.

A família da gerente foi libertada perto da cidade. Além dos quatro suspeitos envolvidos diretamente no crime, o delegado disse que havia mais três homens em motocicletas, que supostamente estariam dando cobertura ao assalto. Desde o roubo, a Polícia Militar faz buscas na região, mas até as 8h30 [horário de Mato Grosso] desta terça-feira nenhum suspeito havia sido preso.

Responder

comment-avatar

*

*