Queimadas crescem 66% em MT e brigadistas vão reforçar combate

Ao todo, 262 profissionais vão atuar no combate ao fogo no estado.
Estado é o quarto no Brasil com registros.

Queimadas em Mato Grosso (Foto: Divulgação / Assessoria)Queimadas aumentaram em Mato Grosso
(Foto: Divulgação / Assessoria)

Duzentos e sessenta e dois brigadistas vão reforçar as ações de combate e prevenção a incêndios florestais nos municípios de Mato Grosso. Eles vão ser recrutados e formados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) em uma ação realizada em parceria com prefeituras. O Centro Especializado em Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais – Prevfogo –  já recebeu autorização para contratar os profissionais temporiamente.

O foco, conforme define a superintendente do Ibama no estado, Cibele Ribeiro, é antecipar-se ao período considerado mais crítico no estado, quando o número de focos de calor aumenta consideravelmente. Ao todo, serão três eixos com atuação de brigadistas: Cuiabá, Barra do Garças e Sinop.

Na região da capital, receberão brigadistas as cidades de Brasnorte, Comodoro e Cáceres. Na região de Barra serão Luciara, Cocalinho, Confresa e São Félix do Araguaia. Já no eixo Sinop, Cotriguaçu, Novo Mundo e Nova Ubiratã.

A escolha baseou-se em análises realizadas pelo Ibama. “O trabalho começa com identificação de municípios com habilidade a receberem as brigadas, focos [de calor] no ano passado, se há unidade de conservação, terras indígenas”, destacou Cibele. Os investimentos devem somar R$ 2,2 milhões, volume maior quando comparado ao destinado no ano passado, em pouco mais de R$ 1 milhão.

Somente neste ano, o número de queimadas registradas pelos satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aumentou 66%. Entre 1º de janeiro ao último dia 15 de abril foram 183 registros medidos pelo NOAA 15 Noite. No mesmo período do ano passado, 110.

Em 2012, o município de Cáceres, a 250 quilômetros de Cuiabá, figura na primeira posição do ranking onde mais se registraram focos de calor: 42. Poconé, a 104 quilômetros de Cuiabá, com 21 focos, é a segunda colocada. Em terceiro aparece Canarana, a 838 km, com 14.

Em 2011, igual época, Poconé aparecia em primeiro, com 48 casos, Barão de Melgaço e Cáceres com dez, respectivamente. Neste mesmo ano, o período de proibição às queimadas vigorou entre 1º de julho e 15 de outubro.

Brasil
Em âmbito Brasil, os 183 focos de calor contabilizados este ano colocam Mato Grosso na quarta posição dentre os estados com maiores ocorrências. O primeiro lugar é ocupado pela Bahia (489), seguida por Mato Grosso do Sul (321) e Minas Gerais (293).

G1 MT

Responder

comment-avatar

*

*